Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/19075
Título: Caracterização da resposta imunoinflamatória na coinfeção Dirofilaria spp. –Wolbachia spp. no cão
Autor: Pacheco, Ana Carolina
Orientador: Belo, Silvana Maria Duarte
Silva, Marcelo Sousa
Palavras-chave: Coinfeção, Dirofilaria immitis, Wolbachia spp., biomarcadores, cão.
Data de Defesa: 2016
Resumo: A Dirofilariose é uma doença zoonótica de dispersão mundial que infeta animais e humanos por todo o Mundo e que tem vindo a aumentar os seus locais de dispersão. É causada principalmente pelas espécies Dirofilaria immitis e D. repens. Para o desenvolvimento e reprodução, estes parasitas necessitam de uma bactéria Gramnegativa endossimbionte Wolbachia spp., encontrada na maioria das espécies de filárias conhecidas. Sabe-se que a presença da bactéria no organismo do animal está associada a uma resposta imunoinflamatória com ativação de citoquinas pró-inflamatórias e aumento de imunoglobulinas específicas direcionando a resposta inflamatória para Th1 e consequentemente aumentando a patologia. O tratamento da dirofilariose canina, causada por D. immitis, consiste no uso de fármacos antiparasitários que, em animais com elevada carga parasitária, podem causar reações adversas graves e fatais. A deteção atempada da presença da bactéria no animal e o uso de antibacterianos pode prevenir estas reações, aumentando a eficácia do tratamento e diminuindo a taxa de mortalidade. O nosso estudo teve como principal objetivo caracterizar o perfil de resposta imunoinflamatória durante a coinfeção Dirofilaria-Wolbachia spp. e identificar potenciais biomarcadores preditivos da presença de Wolbachia spp. Para tal, 245 amostras de sangue de canídeos (originários de canis e associações de animais) foram analisadas para a deteção de anticorpos do tipo IgG e subclasses (IgG1 e IgG2) e da Proteína C-reativa (CRP) através da técnica de Enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA). A nível da resposta humoral, anticorpos do tipo IgG e IgG1, os animais coinfetados (D. immitis-Wolbachia spp.) apresentavam níveis séricos mais elevados dos que os com infeção simples (apenas D. immitis) mas sem diferenças significativas. Perfil semelhante foi observado para os anticorpos do tipo IgG2. No entanto, em relação à concentração da CRP, a coinfeção Wolbachia spp. induzia um aumento significativo (Mann-Whitney, P<0,05) em comparação com a dos animais infetados apenas por D. immitis o que reforça a potencial aplicação da CRP como biomarcador de Wolbachia spp. em animais infetados por D. immitis. A sua deteção pelo método enzimático ELISA, técnica de elevada sensibilidade e de fácil execução, é uma vantagem adicional, uma vez que poderá fornecer um resultado fiável e rápido, informação relevante para o médico Veterinário para a abordagem terapêutica nos animais com dirofilariose.
URI: http://hdl.handle.net/10362/19075
Aparece nas colecções:IHMT: PM - Dissertações de Mestrado



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.