Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/18410
Título: Afonso de Albuquerque and the consumption of material culture in the Indian Ocean : 1506-1515
Autor: Moás, Ana Cardoso Maia
Orientador: Senos, Nuno
Pelúcia, Alexandra
Palavras-chave: Cultura material
Consumos artísticos
Arte da expansão
Afonso de Albuquerque
Material culture
Consumption studies
Afonso de Albuquerque
Data de Defesa: 1-Abr-2016
Resumo: Nesta dissertação pretendem-se identificar as práticas de Afonso de Albuquerque enquanto consumidor de arte e avaliar até que ponto são paradigmáticas do seu tempo ou constituem um marco taxativo na periodização do consumo de arte. O governador (entre 1509 e 1515, mas na Ásia desde 1506) do que viria a ser o Estado da Índia teve um papel fundamental enquanto receptor e distribuidor de presentes diplomáticos, mas são também inteligíveis nos textos coevos apontamentos sobre as suas estratégias pessoais de usufruto e exibição de objectos artísticos. O texto explora como eram tomadas as decisões quanto à cultura material num momento de trocas intensas e sem precedentes com a Ásia. Argumenta-se que as práticas alteraram-se significativamente durante o período de governo de Albuquerque, motivadas pela sua (rápida) apreensão da geopolítica asiática. A dissertação divide-se em duas partes. Na primeira produz-se uma leitura historiográfica do interesse português na Ásia durante os anos finais do século XV e os primeiros do XVI. Esta síntese serve para mapear a conjuntura em que as situações descritas no segundo capítulo tiveram lugar. O segundo capítulo, mais extenso do que o precedente, produz uma leitura crítica das estratégias de consumo (aquisição, manutenção, exibição, e transferência de posse) de objectos por Afonso de Albuquerque. Divide-se em três tendências fundamentais que, de acordo com o que é proposto, formataram o interesse português por objectos asiáticos: os saques, as ofertas diplomáticas, e o consumo de corte. Na parte final do capítulo esboça-se uma proposta de interpretação de como foram recebidos em Portugal os objectos artísticos enviados, com diversos propósitos, por Afonso de Albuquerque.
This thesis attempts to understand the practices of material culture consumption performed by Afonso de Albuquerque, and to assess if they served as a paradigm or a new tendency in sixteenth-century art consumption. The governor (from 1509-1515, but in Asia since 1506) of the future ‘Estado da Índia’ had a central role as a receiver and distributor of diplomatic gifts, but contemporary documents hint at a personal strategy in the use of art. This text explores how decisions were made in a moment of unprecedented and intensive material culture exchange with Asia. It will try to argue that practices changed in the course of Albuquerque’s government, following his (fast) apprehension of Asian geopolitics. This thesis is divided into two chapters. The first consists in a historiographical reading of the Portuguese interest in Asia during the late 15th and early 16th centuries. This summary serves as a basis to understand the stage where the episodes described in chapter II took place. Chapter II, far more extensive than the former, consists in a critical reading of the consumption strategies (acquisition, maintenance, display, and transfer) used by Afonso de Albuquerque. It is divided into three fundamental tendencies which, it is argued, shaped the Portuguese interest for Asiatica: looting, diplomatic gift-exchange, and courtly consumption. The final part of the chapter provides some suggestions on how the material culture sent by Albuquerque with various intents was received in Portugal.
URI: http://hdl.handle.net/10362/18410
Designação: Mestrado em História da Arte, Especialização em História da Arte Moderna
Aparece nas colecções:FCSH: DHA - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
40712-AnaMoas.pdf15,13 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.