Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/13163
Título: A Evolução Pictórica na Obra de Paula Rego. Décadas de 60, 70 e 80
Autor: Oliveira, Ana Sofia Soares de
Palavras-chave: Paula Rego
Artes plásticas
Pintura
Vanguarda
Género
Política
Data de Defesa: 2014
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Resumo: Que ocorrências históricas, políticas, sociais e culturais determinaram o percurso artístico de Paula Rego durante as três primeiras décadas da sua carreira? No século XX, os anos 60, 70 e 80 determinaram um período marcado por mudanças histórico-sociais que condicionaram o rumo da arte em Portugal e no estrangeiro, nomeadamente em Inglaterra e nos Estados Unidos da América. Tratou-se de uma época de consolidação de ideais, sobretudo ligados à política e ao meio cultural. Tendo como base uma série de eventos ocorridos nesta importante fase da história nacional e internacional, surge uma análise sobre o percurso da obra e vida de Paula Rego que pretende incidir fundamentalmente sobre as influências que distinguiram o seu trajecto no mundo da pintura ao longo de três décadas. Numa época em que dominavam, em Portugal, diversos estilos pictóricos como o neo-realismo, o neo-figurativirmo e o abstracionismo, no plano internacional assistia-se a uma estrondosa mudança preconizada pela cultura pop que permitiu a fulminante aparição de diversas tendências artísticas divergentes. Neste período, após a sua estadia em Londres, Paula Rego iniciava-se na técnica da assemblage, introduzindo temas de teor político e operando ao estilo do abstracionismo informal. Nos anos 70, deu-se a Revolução Feminista nos EUA e emergiu o conceptualismo artístico que veio a condicionar a actução do mercado da arte. Em Portugal, a revolução ocorrida a 25 de Abril de 1974, deu início a diversas acções colectivas que se traduziram em pinturas murais, slogans políticos e performances artísticas. Durante esta década, Paula Rego obteve reconhecimento por parte da crítica portuguesa e principiou a fase das ilustrações de fábulas e contos populares. A partir dos anos 80 e após uma fase de declínio da pintura, deu-se uma revalorização do estilo figurativo que permitiu a uma nova geração de artistas ingleses e americanos a exploração desta renovada tendência pictórica. No âmbito nacional, a lei do mecenato elevou o valor comercial das obras de arte ao mesmo tempo que se dava continuidade à produção artística das duas décadas anteriores. Ao longo desta fase, Paula Rego ganhou reconhecimento internacional, introduzindo nas suas telas novos elementos expressivos, mais realistas e eloquentes, criados a partir da sua imaginação fantasiosa tão peculiar.
Descrição: Dissertação apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em História da Arte Contemporânea
URI: http://hdl.handle.net/10362/13163
Aparece nas colecções:FCSH: DHA - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
CAPA.pdf3,75 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.