Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/6914
Título: Análise do efeito da acidificação dos oceanos no desenvolvimento larvar de Crassostrea gigas
Autor: Barros, Patrícia Alexandra Afonso
Orientador: Sobral, Maria Paula
Matias, Domitília
Palavras-chave: Dióxido de carbono
Acidificação
Oceano
Bivalves
Crassostrea gigas
Data de Defesa: 2011
Editora: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Resumo: Os oceanos, como sumidouros de CO2 atmosférico, enfrentam uma grave alteração no seu ciclo bio-geoquímico natural dada a veloz absorção de CO2 gerado antropogenicamente. A acidificação dos oceanos é o termo geral usado para o fenómeno de decréscimo de pH dos oceanos a partir da absorção de CO2 atmosférico, diminuindo a concentração de CO32- e o estado de saturação de aragonite e calcite. Estas alterações modificam a dinâmica dos ecossistemas marinhos e desafiam a adaptação de várias espécies dependentes do ciclo de carbono inorgânico do oceano. Para avaliar os efeitos deste fenómeno, focou-se no estádio larvar dos bivalves pela produção de uma frágil estrutura calcária bastante sensível a alterações na química da água do mar. Neste contexto, investigou-se o efeito da acidificação dos oceanos na mobilidade do esperma, taxa de fecundação e viabilidade larvar (sobrevivência, crescimento e anormalidades) da ostra japonesa, Crassostrea gigas, um bivalve de elevado valor comercial, em ensaios com perturbações controladas de CO2. Foi manipulada a química de carbonatos na água do mar através da injecção directa de CO2 puro, para atingir dois níveis reduzidos de pH (-0,4 e -0,7 unidades, cenários previstos pelo IPCC e Caldeira e Wickett, 2003, respectivamente) posteriormente comparados com um meio não manipulado. Os resultados revelaram uma elevada sensibilidade da larva velígera de C. gigas a baixos níveis de pH. Em geral, foram encontradas diferenças entre os pH na mobilidade do esperma, taxa de fecundação, sobrevivência, crescimento e ocorrência de prodissoconhas anormais e proturberância do manto. O impacto do pH 7,4 na fecundação e viabilidade larvar é maior do que o impacto do pH 7,7. Estes resultados sugerem que o sucesso de reprodução e os mecanismos biológicos de calcificação são interrompidos prematuramente quando expostos a um meio acidificado e influenciam a viabilidade da larva velígera de C. gigas comprometendo a sua sobrevivência.
Descrição: Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente – Perfil Engenharia Ecológica
URI: http://hdl.handle.net/10362/6914
Aparece nas colecções:FCT: DCEA - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Barros_2011.pdf2,71 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.