Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/5737
Título: Qualidade de bivalves estuarinos explorados para consumo: potencial risco para a espécie Ruditapes decussatus: um estudo de caso
Autor: Carreira, Sara Neusa Monteiro de Alcântara
Orientador: Costa, Maria Helena
Data de Defesa: 2011
Editora: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Resumo: Os estuários são ambientes de elevado valor ecológico, no entanto são frequentemente sujeitos a pressões antropogénicas que condicionam a sua qualidade. O Estuário do Sado é um exemplo de uma área sujeita a diversas pressões humanas, revestindo-se de particular importância económica para as populações locais. Neste sentido, o objectivo deste trabalho foi avaliar o impacte da contaminação estuarina na saúde da espécie Ruditapes decussatus (L. 1758), ou amêijoa-boa, de modo a contribuir para uma abordagem de avaliação de risco ecológico. Para o efeito, foram recolhidas amostras de amêijoa-boa dos principais pontos de pesca dos pescadores da Carrasqueira no Estuário do Sado e do Estuário do Mira (sistema de referência). Para a avaliação da qualidade biológica foram seleccionados os dados morfométricos dos indivíduos de ambas as estações e avaliado o desempenho de dois biomarcadores: teor de metalotioneina (exposição) e biomarcadores histopatológicos (efeito), na glândula digestiva. Para a caracterização da qualidade sedimentar recolheram-se dados históricos de contaminação por metais e metalóides, complementados com a determinação da fracção fina e matéria orgânica. A interpretação do potencial de risco baseou-se no contraste dos níveis de contaminação para os estuários com os níveis TEL (threshold effects level) e PEL (probable effects level) para cada elemento analisado e também através da estimativa dos índices de risco ecológico (SQG-Q). Relativamente aos níveis de metalotionina (MT) os indivíduos do estuário do Mira registaram valores superiores aos indivíduos do Sado. Em contrapartida, foi possível observar uma maior incidência de histopatologias nos indivíduos do Sado, resultado que se revelou coerente com a contaminação sedimentar, uma vez que o sedimento do Sado registou os teores mais elevados de metais, sendo que o zinco, o cobre e o cádmio, atingiram concentrações superiores ao respectivo PEL, o que está de acordo com os valores do índice SQG-Q máximo para o Sado (1,08) e Mira (0,24). Assim, sustenta-se que o estuário do Sado é efectivamente mais contaminado por metais, o que se pode traduzir em efeitos adversos para os organismos, tal como detectado pela análise histopatológica, embora não confirmado pela determinação da concentração de MT, provavelmente modulada por variáveis endógenas e exógenas não determinadas. Desta forma é também possível concluir-se que, mediante ambientes geo-químicamente complexos como os existentes em estuários, em particular no estuário do Sado, os biomarcadores de efeito, poderão ter mais potencial enquanto biomarcadores de carácter não-específco.
Descrição: Dissertação apresentada na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa para a obtenção do grau de Mestre em Engenharia do Ambiente, perfil Engenharia Ecológica
URI: http://hdl.handle.net/10362/5737
Aparece nas colecções:FCT: DCEA - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Carreira_2011.pdf1,69 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.