Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/13088
Título: Os valores semânticos das preposições a, até e para em Português Europeu Trajetórias, fronteiras, telicidade e topologia
Autor: Costa, Manuel Luís
Palavras-chave: Preposição
Relação
Verbos de deslocação
Data de Defesa: Ago-2014
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Resumo: O objetivo principal desta tese consiste na proposta de uma análise semântica das preposições a, até e para em português europeu (PE), tendo em conta as categorias linguísticas tempo, aspeto e determinação. Partindo da observação de contextos de coocorrência entre verbos de deslocação (VVD) / verbos de maneira de movimento (VVMM) e SP direcionais, em que estão presentes as preposições a, até e para, procede-se ao estudo das propriedades das eventualidades associadas a estas construções. Tendo em conta os efeitos produzidos por estas construções em termos de telicidade, delimitação temporal de fronteiras e das trajetórias construídas é possível resumir os seguintes factos: (i) as construções VVD+SP direcional denotam situações télicas e delimitadas temporalmente. Também as trajetórias construídas são delimitadas. As propriedades das construções não são sensíveis à preposição selecionada. (ii) as construções VVMM+SP direcional são sensíveis à preposição selecionada para preencher o núcleo do SP. Assim, quando estes verbos coocorrem com a preposição até, as construções denotam situações télicas e delimitadas temporalmente e as trajetórias são delimitadas. Em coocorrência com a preposição para, a interpretação das situações é ambígua, podendo denotar situações télicas e (não)delimitadas, assim como trajetórias (não)delimitadas. (iii) só a combinatória dos SP direcionais com verbos de maneira de movimento, tipicamente interpretados como processos, permite observar efeitos de transicionalidade aspetual. Face ao exposto, o estudo das construções do tipo directed motion permite retirar algumas implicações importantes para a semântica das preposições. No presente trabalho, esta perspetiva de investigação articula-se com uma outra em que as preposições são tratadas como marcadores de noções de natureza híbrida (lexicais e gramaticais), o que permite uma análise integrada de propostas desenvolvidas no âmbito de diferentes quadros teóricos, tais como a semântica cognitiva e a teoria das operações predicativas e enunciativas. Assim, defende-se como uma das ideias centrais desta tese que as preposições são marcadores relacionais. Na relação X R(PREP) Y ativada pela preposição, os dados estudados permitem concluir que as preposições a, até e para funcionam como preposições de tipo divisão, localizando o termo X em relação a uma determinada zona do domínio associado a Y. Globalmente, com esta dissertação, propõe-se uma descrição e explicação do funcionamento das preposições a, até e para em PE, suportada pela análise das construções em que ocorrem, em contraste com uma perspetiva de análise tradicional em que os valores das preposições são definidos pelas propriedades do nome que ocorre à sua direita.
Descrição: Tese apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Doutor em Linguística
URI: http://hdl.handle.net/10362/13088
Aparece nas colecções:FCSH: DL - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese_versão final.pdf1,05 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.