Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/12321
Título: Qualidade do ar interior em ambiente hospitalar: identificação de poluentes, fontes e estratégias para a otimização dos serviços de saúde
Autor: Matos, João Lino de
Orientador: Almeida, Susana
Ferreira, Francisco
Palavras-chave: Qualidade do ar interioi
Ambiente hospitalar
Poluentes químicos
Físicos e microbiológicos
Ar exterior
Sistemas AVAC
Data de Defesa: 2014
Editora: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Resumo: A qualidade do ar interior (QAI) tem sido alvo de grande interesse por parte da comunidade científica nos últimos anos, principalmente por serem claras as evidências de que uma má qualidade do ar tem comprovado efeitos nefastos nos seus ocupantes, afetando-lhes a saúde, o conforto e produtividade. Esta situação torna-se alarmante em locais onde a saúde dos seus ocupantes se mostra debilitada, como é o caso dos hospitais. Os hospitais, destinados à promoção da saúde da comunidade, constituem um ambiente bastante complexo, apresentando uma diversidade de fatores, poluentes químicos e microbiológicos suscetíveis de degradar a qualidade do ar interior e consequentemente afetar utentes e trabalhadores. Este trabalho teve como objeto de estudo o Hospital de São Bernardo em Setúbal, onde foram selecionadas três áreas piloto para a aplicação de uma metodologia com o objetivo de avaliar a qualidade do ar interior. As três áreas piloto monitorizadas foram: a Urgência Geral, a Enfermaria das Especialidade Cirúrgicas e o Bloco Operatório. A metodologia desenvolvida incluiu a aplicação de um questionário aos trabalhadores do hospital e a avaliação dos parâmetros químicos, físicos e microbiológicos segundo três tipos de abordagens: campanhas de curto período, campanhas de longo período e campanhas sequenciais. Os resultados obtidos indicaram o serviço de urgências e o bloco operatório como os espaços onde a qualidade do ar interior se revelou mais deficitária. A existência de uma grande influência de poluentes provenientes do ar exterior, bem como concentrações excessivas de poluentes associados às práticas médicas foram os principais responsáveis pela degradação da QAI nestes serviços. Também os resultados obtidos nos inquéritos mostraram a existência de uma relação clara entre a qualidade do ar interior, a saúde, o conforto e a produtividade dos trabalhadores.
Descrição: Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente
URI: http://hdl.handle.net/10362/12321
Aparece nas colecções:FCT: DCSA - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Matos_2014.pdf3,04 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.