Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/9761
Título: O Parque das Nações em Lisboa: uma montra da metrópole à beira-Tejo
Autor: Pereira, Ana Patrícia Faria
Palavras-chave: Lisboa
Parque das Nações
Frentes de água urbanas
Espaços públicos
Gentrificação
Sociologia Urbana
Data de Defesa: Mai-2013
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Resumo: Nas últimas décadas, cidades portuárias em todo o mundo, como Lisboa, têm vindo a ser particularmente afectadas por processos de transformação global que têm alterado de forma decisiva os espaços urbanos e as formas como os urbanitas se relacionam com eles. Estas cidades competem entre si ao nível internacional, pelo que os poderes públicos locais e centrais procuram implementar políticas urbanas e criar infra-estruturas para reorientá-las de acordo com os interesses dos investidores globais. Foi nesse contexto que, associado à realização da Expo’98, se concretizou o projecto de intervenção urbana que deu origem ao Parque das Nações. Esta nova área ribeirinha residencial, comercial e de serviços, tem-se vindo a constituir numa “montra” de Lisboa. Os seus espaços públicos, concebidos como lugares seguros e ordenados, apetecíveis para fins lúdicos, constituem um elemento importante da estratégia de competitividade urbana da capital portuguesa. Recorrendo ao método de pesquisa de terreno, esta investigação explorou os modos de apropriação e interacção que esses espaços públicos suscitam. A partir desse objectivo inicial surgiram várias outras questões às quais se procurou responder ao longo a investigação. Que forças concorrem para a transformação de espaços industriais e portuários em espaços-montra das metrópoles, como o Parque das Nações? Poderemos considerar que o Parque das Nações resultou de um processo de gentrificação? Como é que estas questões se relacionam com a produção e reprodução de desigualdades urbanas e metropolitanas? Ancorado em diferentes escalas de análise, o trabalho buscou ainda contextualizar a edificação e a consolidação do Parque das Nações no âmbito dos processos de expansão da zona oriental de Lisboa e do crescimento metropolitano. O estabelecimento de pontes comparativas com o caso de Boston permitiu lidar com as dimensões globais dos processos de transformação de frentes de água urbana.
Descrição: Tese apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Doutor em Sociologia, especialidade de Sociologia Urbana, do Território e do Ambiente
URI: http://hdl.handle.net/10362/9761
Aparece nas colecções:FCSH: DS - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
O Parque das Nações em Lisboa uma montra da metrópole à beira Tejo Maio 2013.pdf6,57 MBAdobe PDFVer/Abrir
Anexo 2 - Mapa Parque das Nações.pdf13,5 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.