Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/9677
Título: A história da malária em Portugal na transição do século XIX para o século XX e a contribuição da Escola de Medicina Tropical de Lisboa (1902-1935)
Autor: Lobo, Ana Rita Merelo
Orientador: Amaral, Isabel
Palavras-chave: Malária
História da medicina tropical
Escola de Medicina Tropical de Lisboa
Portugal
Colónias
Século XX
Data de Defesa: 2012
Editora: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Resumo: Esta dissertação tem por objectivo contribuir para um conhecimento mais detalhado da história da malária em Portugal, na perspectiva da história da ciência e da história da medicina tropical. Para tal será efectuada uma análise da emergência da medicina tropical, enquanto área científica autónoma, na transição do século XIX para o século XX, utilizando como estudo de caso, a Escola de Medicina Tropical de Lisboa, e as acções desenvolvidas sob a sua égide, no âmbito do estudo e combate desta doença em Portugal e nas colónias, durante o seu período de existência (1902-1935). Iremos analisar o percurso do combate à malária em Portugal utilizando os critérios e a metodologia definidos na literatura para a história da medicina tropical europeia e para a história da malária, procurando enquadrar toda a informação disponível em vários acervos documentais, como sejam os do Instituto de Higiene e Medicina Tropical, do Arquivo Histórico Ultramarino, da Sociedade de Geografia de Lisboa, da Biblioteca Nacional de Portugal, da Biblioteca Central e Arquivo Histórico da Marinha, da Escola de Medicina Tropical de Liverpool, da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, da Wellcome Trust Library e da British Library. Tomando como referência a actividade das instituições congéneres europeias e as políticas de saúde adoptadas para lidar com a malária nos territórios colonizados no âmbito do imperialismo europeu dos séculos XIX e XX, a análise do caso português aponta para algumas diferenças na prioridade que esta doença assumiu na actividade da Escola de Medicina Tropical de Lisboa, particularmente na definição de políticas de saúde para o combate à doença nas colónias e na metrópole. Procurar-se-á assim compreender por que razão uma escola especializada em Medicina Tropical, internacionalmente reconhecida, não terá sido capaz de afirmar no seu programa de investigação, a malária, uma das doenças mais emblemáticas da colonização europeia do século XX.
Descrição: Dissertação para obtenção do Grau de Doutor em História, Filosofia e Património da Ciência e da Tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10362/9677
Aparece nas colecções:FCT: DCSA - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Lobo_2012.pdf6,38 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.