Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/6830
Título: Videocultura, memória e esquecimento
Autor: Cádima, Francisco Rui
Data: 1996
Editora: Edições Colibri
Relatório da Série N.º: ;N.9
Resumo: A relação dos media com o mundo - e designadamente a relação específica com a "máquina" televisiva - é, no seu complexo campo reticular de produção de saber e fazer, simultaneamente desestabilizadora e apaziguadora, na medida em que a prosa precária que a televisão induz, emerge ora como momento fundador de visibilidade, ora como instmmento de verdade do qual não devem ser iludidos os seus dispositivos, os seus poderes e os seus limites. A televisão é, por excelência, uma máquina produtora de redundância, recicla continuamente o seu dispositivo e organiza no seu fluxo discursivo um novo espaço-tempo, uma visão do mundo generalista e compósita. Existe, por assim dizer, uma acção socializante do imaginário televisivo que se configura nos modelos estabilizados das suas "grelhas" de programação e das suas formas de representação do mundo, as quais conduzem, grosso modo, ao espectáculo de ritualização da cultura e da informação. Sintoma, cujo princípio de realidade se manifesta sem se autodesignar, isto é, trabalha num registo de ilusão naturalista e de criação de efeitos de legitimação tendo por horizonte de conhecimento o seu contrato de visibilidade e de credibilidade com o telespectador, em suma, um horizonte de acontecimento.
Descrição: pp. 83-93
URI: http://hdl.handle.net/10362/6830
ISSN: 0871-2778
Aparece nas colecções:Revista da FCSH -1996

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RFCSH9_83_93.pdf9,59 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.