Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/6826
Título: De saussure as teoriasenunciativas ruptura ou continuidade?
Autor: Campos, Maria Henriqueta Costa
Data: 1996
Editora: Edições Colibri
Relatório da Série N.º: ;N.9
Resumo: Aprendemos a ler Saussure com maior ou menor esforço e com maior ou menor prazer quando começamos a estudar lingüística no 1° ano da licenciatura. Quando passamos a ensinar Saussure, temos uma visão necessariamente mais crítica, mas é ainda o Saussure do Cours de linguistique générale que defendemos. A afinar o nosso olhar e a ajudar-nos a resolver as contradições que surgem no texto dos discípulos, temos agora Les Sources manuscrites de Godel (P edição em 1957), a edição comentada de Tullio de Mauro (T edição italiana em 1967) e as edições críticas de Engler (1967-1974). A imagem que ainda hoje perdura para a generalidade dos estudantes que passaram por Saussure é a do precursor do estmturalismo europeu, daquele que, nas palavras de Françoise Gadet em Saussure, une science de Ia langue "arrancou a reflexão sobre a linguagem às evidências empíricas" (1987:7) dominantes na investigação histórica de então. Com Saussure o objecto de análise seria definido como um objecto abstracto, constmído pela teoria, um sistema governado por princípios exteriores ao indivíduo e à realidade física.
Descrição: pp. 49-59
URI: http://hdl.handle.net/10362/6826
ISSN: 0871-2778
Aparece nas colecções:Revista da FCSH -1996

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RFCSH9_49_59.pdf9,91 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.