Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/21839
Título: Las aguas en el Arte Contemporáneo
Palavras-chave: Arte contemporânea
Crise Ambiental
Reabilitação cultural e ecológica
Prática tradicional
Comunidade
Data: 2016
Editora: Los Libros de la Catarata
Resumo: Alberti atribui a invenção da pintura a Narciso; e, por via do mito antigo, estabelece uma analogia entre a pintura (flor de todas as artes) e a superfície de água cristalina parada (espelho natural). Embora sejam ambas impalpáveis, a imagem pintada confere permanência ao reflexo aquático, fugaz. Componente de diversos materiais da pintura, a água é um meio privilegiado da aguarela, favorecendo com a diluição, as passagens, osmoses e fusões entre as formas e o esboroamento de matérias. Nas propostas artísticas contemporâneas aqui abordadas, a água (nos seus vários estados físicos; pura ou poluída) está, sobretudo, presente como realidade efectiva (matéria, suporte, médium, meio de imersão, lugar específico, força motriz passível de ser controlada, canalizada e armazenada). O foco de incidência dessas propostas é variável: ora visa as propriedades físicas da água ou a sua transformação – implicando (ou não) uma dimensão ecológica (recuperação e reutilização) – ora explora as potencialidades metafóricas desse elemento móvel, vivo e fluido, implicando (ou não) uma dimensão política.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10362/21839
ISBN: 978-84-9097-208-3
Aparece nas colecções:FCSH: IELT - Capítulos de livros internacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
UID_ELT_00657_2013_As_A_guas_na_Arte_Contempora_nea_.pdf146,6 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.