Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/19580
Título: Clustering of major behavioral risk factors in the Portuguese population with diabetes and their association with self rated health
Autor: Costa, Elsa de Fátima Sequeira Mourato
Orientador: Dias, Carlos Matias
Gonçalves, Luzia
Data de Defesa: 2015
Resumo: RESUMO - Esta tese teve como objetivos (i) identificar a ocorrência conjunta dos quatro principais fatores de risco relacionados com comportamentos, nomeadamente, o tabagismo, o consumo excessivo de álcool, o sedentarismo e a dieta desequilibrada na população portuguesa com idade igual ou superior a 15 anos com e sem diabetes auto relatada, observando-se a variação entre os diferentes grupos sociodemográficos e (ii) explorar a associação entre a ocorrência conjunta dos fatores de risco relacionados com comportamentos na população com diabetes auto relatada e a sua autoapreciação do estado de saúde (AES). No âmbito destes objetivos, foram analisados os dados do 4º Inquérito Nacional de Saúde (INS) e publicados três artigos científicos. As variáveis para os fatores de risco relacionados com comportamentos como o tabagismo, o consumo excessivo de álcool e o sedentarismo foram definidas com base nas perguntas do inquérito, enquanto a informação disponível no 4º INS sobre os hábitos alimentares não permite avaliar diretamente a dieta da população portuguesa, de acordo com as recomendações internacionais. Portanto, começámos por desenvolver uma metodologia para avaliar o padrão alimentar da população portuguesa com e sem diabetes, tendo em consideração as recomendações internacionais para uma dieta pouco saudável (Artigo I). Assim, o objetivo geral deste artigo foi identificar indicadores de um padrão alimentar não saudável baseado na informação auto relatada sobre os hábitos alimentares do 4º INS e identificar subgrupos da população com diferentes padrões alimentares. Para definir os indicadores de padrão alimentar foram consideradas algumas variáveis do 4º INS e depois criámos um score para dicotomizar as variáveis. A análise de classes latentes (ACL) foi usada para classificar os indivíduos em grupos com diferentes padrões alimentares. Foram definidos três indicadores de padrão alimentar não saudável: i) dieta não diversificada, ii) não consumo de frutas e vegetais e iii) número de refeições principais por dia inferior a três. Foram identificadas duas classes: padrão alimentar não saudável (classe 1) e padrão alimentar saudável (classe 2) para os indivíduos com e sem diabetes. A maior proporção de participantes foi classificada na classe padrão alimentar não saudável, tanto em indivíduos com diabetes como em indivíduos sem diabetes (81.9% e 73.9%). De seguida investigámos a ocorrência conjunta dos principais fatores de risco relacionados com comportamentos (tabagismo, consumo excessivo de álcool, sedentarismo e dieta desequilibrada) e a variação entre os diferentes grupos sociodemográficos em dois grupos da população portuguesa, um com diabetes e outro sem diabetes, porque o agrupamento dos fatores de risco relacionados com comportamento em indivíduos e populações é importante para estudar os seus padrões e planear intervenções e decisões em saúde pública no controle de doenças e na promoção da saúde (Artigo II). Neste artigo, a ocorrência conjunta foi avaliada por comparação da frequência observada e esperada das diferentes combinações possíveis entre os quatro fatores de risco. Foi ajustado um modelo de regressão logística múltipla para analisar a variação sociodemográfica na ocorrência conjunta dos quatro fatores de risco relacionados com comportamentos. Entre a população portuguesa inquirida, 8.9% dos indivíduos com diabetes e 19.5% dos indivíduos sem diabetes têm dois ou três fatores de risco relacionados com comportamentos. Os fatores de risco relacionados com comportamentos foram analisados considerando todas as combinações múltiplas possíveis (k=16). Em indivíduos diabéticos a combinação mais frequente de dois ou mais fatores de risco relacionados com comportamentos foi tabagismo, consumo excessivo de álcool e dieta desequilibrada. O tabagismo e o consumo excessivo de álcool foi a combinação mais frequente em indivíduos não diabéticos. Os resultados sugerem que a probabilidade de indivíduos com dois ou mais comportamentos de risco em simultâneo é maior em homens, dos 35 aos 44 anos de idade e com baixo nível de educação, tanto em indivíduos com diabetes como em indivíduos sem diabetes. Por fim, analisámos a associação entre os padrões de fatores de risco relacionados com comportamentos na população portuguesa com 15 ou mais anos de idade com diabetes e a sua AES (Artigo III). A AES foi classificada como positiva (Muito Bom ou Bom) e negativa (Razoável, Mau ou Muito Mau). Foi utilizada a técnica estatística de ACL para classificar os indivíduos em grupos com padrões de fatores de risco comportamentais. Entre a população com idade ≥ 15 anos, 11% relata AES positiva e 89% relata AES negativa. Homens, jovens, com nível de escolaridade elevado e divorciados foram associados com AES positiva. A atividade física e a alimentação saudável foram associadas com a AES positiva, após o ajuste para as características sociodemográficas. Foram identificados três padrões de fatores de risco comportamentais: fisicamente inativos, fumadores e bebedores. Os resultados deste estudo poderão ser um contributo importante para o desenho de programas específicos destinados a melhorar a saúde pública. A perceção do estado de saúde é essencial para um melhor planeamento em saúde, não só devido ao seu papel como determinante da saúde, mas também porque ela está relacionada com a adoção de comportamentos de promoção da saúde. As principais conclusões deste trabalho de investigação são as seguintes: ● Os padrões alimentares foram diferentemente associados, principalmente, com o sexo, idade, nível de escolaridade e estado civil, entre os indivíduos com diabetes e sem diabetes auto reportada e a ACL identificou dois grandes grupos da população com e sem diabetes auto relatada com diferentes padrões alimentares. ● A classificação dos indivíduos nestes grupos pode contribuir para analisar o padrão alimentar em indivíduos de outros estudos. ● Entre a população portuguesa, 8.9% dos indivíduos com diabetes auto reportada têm dois ou três fatores de risco relacionados com comportamentos e o padrão de comportamento que indicou um maior aumento do que o esperado foi a ocorrência conjunta de três fatores de risco: fumar, consumo excessivo de álcool e dieta desequilibrada. ● Foram identificados os grupos mais vulneráveis à ocorrência simultânea de dois ou mais fatores de risco comportamentais para a diabetes: homens que têm 35-44 anos, solteiros e que frequentaram o ensino secundário. ● Os nossos resultados sugerem que os comportamentos associados com uma boa AES na população com diabetes auto relatada com 15 ou mais anos de idade são a atividade física, o consumo de álcool, a alimentação saudável e o não fumar. ● Foram identificados três padrões de fatores de risco comportamentais: fisicamente inativos, fumadores e bebedores entre a população com diabetes com idade ≥ 15 anos. A identificação destes padrões discerníveis é importante para o desenvolvimento de intervenções específicas em programas de controlo da diabetes.
ABSTRACT - This thesis aimed (i) to identify the clustering of four major behavioral risk factors namely smoking, heavy drinking, physical inactivity and unhealthy diet in a Portuguese population aged 15 years and over with and without self-reported diabetes highlighting the variation across different socio-demographic groups and (ii) to explore the association between the clustering of behavioral risk factors in the population with self-reported diabetes and their self rated health (SRH). In the scope of these objectives, data from the fourth Portuguese National Health Interview Survey (NHIS) was analyzed and three scientific papers were published. The outcome variables for the behavioral risk factors as smoking, heavy drinking, physical inactivity have been defined based on the questions of the survey, whereas the information available regarding eating habits does not allow to assess the diet of the Portuguese population according to international recommendations directly from the questions. Therefore, we started by developing a methodology to assess the dietary pattern of the Portuguese population with and without diabetes, taking into consideration the international recommendations for an unhealthy diet (Paper I). Thus, the general purpose of this paper was to identify indicators of an unhealthy dietary pattern based on self reported information about eating habits from the fourth Portuguese NHIS and to identify subgroups of the population with different dietary patterns. To define dietary pattern indicators, some NHIS variables were considered and then we created a score to dichotomize the variables. Latent class analysis was used to classify individuals in different dietary patterns groups. Three unhealthy dietary pattern indicators were established: i) dietary non diversity, ii) non consumption of fruit and vegetables and iii) number of main meals per day below three. Two classes were identified: unhealthy dietary pattern (class 1) and healthy dietary pattern (class 2) for individuals with and without diabetes. The highest proportion of participants was classified into the class of unhealthy dietary patterns both in individuals with and without diabetes (81.9% and 73.9%). Then, we investigated the clustering and variation across different sociodemographic groups of the major behavioral risk factors (smoking, heavy drinking, physical inactivity and unhealthy diet) in two groups of the Portuguese population, one with and one without diabetes. Because the behaviour related risk factors cluster together in individuals and populations it is important to study their patterns to inform public health interventions and decisions aimed at controlling disease and promoting health (Paper II). In this paper, clustering was evaluated by comparing the observed and expected frequency of the different possible combinations of the four risk factors. A binary multiple logistic regression model was fitted to examine the socio-demographic variation in the clustering of the four behavioral risk factors. Among the Portuguese population surveyed, 8.9% of individuals with diabetes and 19.5% of individuals without diabetes accumulated two or three behavioral risk factors. Behavioral risk factors were explored considering all possible multiple combinations (k=16). The most frequent combination of two or more risk behavioural factors was smoking, heavy drinking and unhealthy diet in diabetic individuals. Smoking and heavy drinking was the most frequent combination in non-diabetic individuals. The findings suggest that the likelihood of individuals having two or more risk behaviours simultaneously was greater in men 35-44 years old and lower education level both in individuals with and without diabetes. Finally we explored the association between the behaviour risk factor patterns in the Portuguese population aged 15 years and older with diabetes and their SRH (Paper III). SRH was categorized as positive (very good or good) and negative (fair, bad or very bad). LCA statistical techniques were used to classify individuals in groups of behavioral risk factor patterns. Among the population aged ≥ 15 years, 11% reports positive SRH and 89% reports negative SRH. Male gender, younger age, higher level of education and divorced marital status were all associated with positive SRH. Physical activity and healthy diet were associated with positive SRH, after adjusting for socio demographics characteristics. Three behavioral risk factor patterns were identified: physically inactive, smokers and heavy drinkers. The findings of this study will be an important contribution for the design of specific programmes aimed at improving public health. The perception of health status is essential for better planning in health, because it is related with the adoption of health promoting behaviours. The main conclusions of the present investigation are the following: • The dietary patterns were differentially associated mainly with sex, age, education level and marital status values among individuals with and without self-reported diabetes and LCA identified two major groups of the population with and without self-reported diabetes with different dietary patterns. • The classification of individuals into these groups may contribute to analyze the dietary pattern in individuals of other studies. • Among the Portuguese population 8.9 % of individuals with self-reported diabetes accumulated two or three behavioral risk factors and the behavior pattern that indicated a greater increase than that expected at random was the simultaneous occurrence of the three risk factors: smoking, heavy drinking and unhealthy diet. • The most vulnerable groups to the simultaneous occurrence of two or more risk behaviours for diabetes were identified: men who have 35-44 years, single, who have secondary education. • Our findings suggest that behaviors associated with positive SRH in population with self reported diabetes aged 15 years and over are regular physical activity, alcohol consumption, healthy diet and not currently smoking. • Three behavioral risk factors patterns were identified: physically inactive, smokers and heavy drinkers among the population with diabetes age≥d 15 years. Identification of these discernible patterns is important to develop specific interventions in control programmes for diabetes.
URI: http://hdl.handle.net/10362/19580
Designação: Doutoramento em Saúde Pública
Aparece nas colecções:ENSP: EE - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RUN - Tese de Doutoramento - Elsa Costa.pdf5,54 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.