Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/54381
Título: L2 Acquisition at the interfaces: Subject-verb inversion in L2 English and its pedagogical implications
Autor: Teixeira, Joana Alexandra Vaz
Orientador: Madeira, Ana
Matos, Ana Gonçalves
Palavras-chave: (applied) generative second language acquisition
Syntax-discourse interface
Lexicon-syntax interface
Subject-verb inversion
Null subjects
Interface Hypothesis
L2 grammar teaching
Aquisição de segunda língua (aplicada) numa perspetiva generativa,
Interface sintaxe-discurso
Interface léxico-sintaxe
Inversão sujeito-verbo
Sujeitos nulos
Hipótese de Interface
Ensino da gramática em L2
Data de Defesa: 14-Nov-2018
Resumo: The present PhD thesis deals with two kinds of interfaces that have recently become key areas of interest in generative second language acquisition research (GenSLA): (i) linguistic interfaces – the syntax-discourse interface (our main focus of research) and the lexicon-syntax interface in adult second language (L2) acquisition –, and (ii) an interdisciplinary interface – the interface between the domains of GenSLA and L2 pedagogy. The thesis seeks to shed new light on four general questions which are still a matter of debate in GenSLA: (i) Are narrow syntactic and lexical-syntactic properties unproblematic at the end state of L2 acquisition, as the Interface Hypothesis (IH) (Sorace & Filiaci, 2006; Sorace, 2011b) predicts? (ii) Are properties at the syntax-discourse interface necessarily problematic at the end state of L2 acquisition, as the IH proposes? (iii) What are the roles of cross-linguistic influence, input and processing factors in L2 acquisition at the syntax-discourse interface? (iv) Can explicit instruction help L2 learners/speakers (L2ers) overcome persistent problems in the acquisition of syntactic and syntax-discourse properties? With a view to investigating these questions, the thesis focuses on a linguistic phenomenon that has been little researched in GenSLA: subject-verb inversion (SVI) in L2 English. Three types of SVI are considered here: (i) “free” inversion (and their correlation with null subjects), (ii) locative inversion and (iii) presentational there-constructions (i.e., there-constructions with verbs other than be). The first is ungrammatical in English due to a purely syntactic factor: this language fixes the null subject parameter at a negative value. The last two types of SVI, on the other hand, are possible in English under certain lexical, syntactic and discourse conditions. The thesis comprises two experimental studies: (i) a study on the acquisition of the lexical, syntactic and discourse properties of SVI by advanced and near-native L2ers of English who are native speakers of French (a language similar to English in the relevant respects) and European Portuguese (a language different from English in the relevant respects), and (ii) a study on the impact of explicit grammar instruction on the acquisition of “narrow” syntactic and syntax-discourse properties of SVI by intermediate and low advanced Portuguese L2ers of English. The former study tests participants by means of three types of tasks: untimed drag-and-drop tasks, syntactic priming tasks, and speeded acceptability judgement tasks. Their results confirm that, as predicted by the IH, the properties of SVI that are purely (lexical-)syntactic are unproblematic at the end state of L2 acquisition, but those which involve the interface between syntax and discourse are a locus of permanent optionality, even when the first language (L1) is similar to the L2. Results are, moreover, consistent with the prediction of the IH that the optionality found at the syntax-discourse interface is primarily caused by processing inefficiencies associated with bilingualism. In addition to presenting new experimental evidence in favour of the IH, this study reveals that the degree of optionality L2ers exhibit at the syntax-discourse interface is moderated by the following variables, which have not been (sufficiently) considered in previous work on the IH: (i) construction frequency (very rare construction → more optionality), (ii) the quantity and/or distance of the pieces of contextual information the speaker needs to process (many pieces of contextual information in an inter-sentential context → more optionality), (iii) the level of proficiency in the L2 (lower level of proficiency → more optionality), and (iv) the (dis)similarity between the L1 and the L2 (L1≠L2 → more optionality). The study which concentrates on the impact of explicit grammar instruction on L2 acquisition follows a pre-test, treatment, post-test and delayed post-test design and tests participants by means of speeded acceptability judgement tasks. This study shows that explicit grammar instruction results in durable gains for L2ers, but its effectiveness is moderated by two factors: (i) the type of linguistic domain(s) involved in the target structure and (ii) whether or not L2ers are developmentally ready to acquire the target structure. Regarding factor (i), research findings indicate that the area that has been found to be a locus of permanent optionality in L2 acquisition – the syntax-discourse interface – is much less permeable to instructional effects than “narrow” syntax. Regarding factor (ii), results suggest that explicit instruction only benefits acquisition when L2ers are developmentally ready to acquire the target property. As these findings are relevant not only to GenSLA theory, but also to L2 teaching, the thesis includes an analysis of the relevance and potential implications of its findings for L2 grammar teaching.
A presente tese aborda dois tipos de interfaces que se tornaram recentemente áreas de interesse centrais na investigação desenvolvida em aquisição de língua segunda (L2) numa perspetiva generativista: (i) interfaces linguísticas – a interface sintaxe-discurso (o nosso foco principal de investigação) e a interface léxico-sintaxe na aquisição de L2 por adultos –, e (ii) uma interface interdisciplinar – a interface entre os domínios de aquisição e didática de L2. A tese pretende lançar nova luz sobre quatro questões que continuam a gerar muito debate no domínio de aquisição de L2: (i) Serão as propriedades “puramente” (léxico-)sintáticas completamente adquiríveis no estádio final de aquisição de L2, como a Hipótese de Interface (HI) (Sorace & Filiaci, 2006, Sorace, 2011b) propõe? (ii) Serão as propriedades na interface entre sintaxe e discurso necessariamente um locus de opcionalidade no estádio final de aquisição de L2, como a HI prediz? (iii) Quais são os papéis da influência da língua materna (L1), do input e de fatores de processamento na aquisição de L2 na interface sintaxe-discurso? (iv) Será que o ensino explícito ajuda os falantes de L2 a ultrapassarem problemas persistentes na aquisição de propriedades sintáticas e de sintático-discursivas? A fim de investigar estas questões, a tese debruça-se sobre um fenómeno linguístico ainda pouco investigado no domínio de aquisição de L2: a inversão sujeito-verbo (ISV) em inglês L2. Três tipos de ISV são considerados aqui: (i) a inversão “livre” (e sua correlação com sujeitos nulos), (ii) a inversão locativa e (iii) construções com there com verbos que não be (‘ser/estar’). A primeira é agramatical em inglês por um fator estritamente sintático: esta língua fixa o valor negativo para o parâmetro do sujeito nulo. Os dois últimos tipos de ISV, por seu lado, são possíveis em inglês em certas condições (léxico-)sintáticas e discursivas. A tese compreende dois estudos experimentais: (i) um estudo sobre a aquisição das propriedades lexicais, sintáticas e discursivas da ISV por falantes avançados e quase nativos de inglês que têm como L1 o francês (uma língua semelhante ao inglês nos aspetos relevantes) e o português europeu (uma língua diferente do inglês nos aspetos relevantes) e (ii) um estudo sobre o impacto do ensino explícito de gramática na aquisição de propriedades “estritamente” sintáticas e sintático-discursivas da ISV por falantes de português europeu com um nível intermédio e avançado em inglês L2. No primeiro estudo, os participantes são testados através de três tipos de tarefas: tarefas drag and drop não temporizadas, tarefas de priming sintático e tarefas de juízos de aceitabilidade rápidos. Em conjunto, os resultados destas tarefas confirmam que, como predito pela HI, as propriedades da ISV que são puramente (léxico-)sintáticas não são problemáticas no estádio final da aquisição de L2, mas aquelas que envolvem a interface entre sintaxe e discurso são um locus de opcionalidade permanente, mesmo quando a L1 é semelhante à L2. Os resultados são, além disso, consistentes com a proposta da HI de que a opcionalidade encontrada na interface sintaxe-discurso é causada (principalmente) por ineficiências de processamento associadas ao bilinguismo. Além de apresentar nova evidência experimental a favor da HI, este estudo mostra que o grau de opcionalidade que os falantes de L2 exibem na interface sintaxe-discurso é moderado pelas seguintes variáveis, que não têm sido (suficientemente) consideradas na literatura sobre a HI: (i) a frequência da construção na língua alvo (construção muito rara → mais opcionalidade), (ii) a quantidade e/ou distância das informações contextuais que o falante precisa processar (muitas informações contextuais no contexto inter-frásico → mais opcionalidade), (iii) o nível de proficiência na L2 (menor nível de proficiência → mais opcionalidade), e (iv) a (dis)semelhança entre a L1 e a L2 (L1 ≠ L2 → mais opcionalidade). O estudo de intervenção didática compreende um pré-teste e dois pós-testes após a intervenção e testa os participantes através de tarefas de juízos de aceitabilidade rápidos. Este estudo mostra que o ensino explícito da gramática pode resultar em ganhos duradouros para os aprendentes de L2, mas a sua eficácia é moderada por dois fatores: (i) o tipo de domínio(s) linguístico(s) em que propriedade alvo se situa e (ii) o grau de developmental readiness dos aprendentes para adquirirem a propriedade alvo. Em relação ao fator (i), os resultados deste estudo indicam que a área que constitui um locus de opcionalidade permanente na aquisição de L2 – a interface sintaxe-discurso – é muito menos permeável a efeitos de ensino do que a sintaxe “pura”. Em relação ao fator (ii), os resultados sugerem que o ensino explícito facilita a aquisição de L2 apenas quando os aprendentes atingiram um estádio de desenvolvimento em que já lhes é possível adquirir a propriedade alvo. Como estes resultados são relevantes não só para a teoria de aquisição de L2, mas também para o ensino de L2, a tese inclui uma análise da relevância e potenciais implicações dos seus resultados para o ensino da gramática em L2.
URI: http://hdl.handle.net/10362/54381
Designação: Linguística, especialidade em Psicolinguística
Aparece nas colecções:FCSH: DL - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
PhD thesis_Dec 2018.pdf4,71 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.