Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/45433
Título: Cohort study of associations between intestinal protozoa infection and intestinal barrier funcion, nutritional status, and neurodevelopment in infants from Republic of São Tomé
Autor: LOZANO, Marisol Garzon
Orientador: SILVA, Luís Pereira da
SEIXAS, Jorge
Palavras-chave: Parasitologia médica
Helmintologia
Crescimento infantil
Helmintologia intestinais
Inflamação intestinal
Neurodesenvolvimento
Permeabilidade intestinal
Protozoários intestinais
São Tomé e Príncipe
Data de Defesa: 2017
Resumo: Enquadramento Em lactentes de países de baixo e médio rendimento, Giardia lamblia, Cryptosporidium e Entamoeba hystolitica são agentes prevalentes em infeções intestinais. As interações hospedeiro-parasita podem levar a uma resposta inflamatória da mucosa e aumento da permeabilidade intestinal. Clinicamente, isto pode refletir-se por impacto negativo no crescimento e neurodesenvolvimento. Os efeitos destas infeções intestinais subclínicas na saúde infantil têm sido pouco estudado. Objetivo Analisar, em crianças assintomáticas de São Tomé, as associações entre infeções por parasitas intestinais e a função da barreira intestinal, o estado nutricional e o neurodesenvolvimento. Métodos Foi realizado um estudo coorte de nascimento com seguimento até aos 24 meses de idade. A antropometria foi avaliada mensalmente e incluiu o crescimento atingido (zscores para peso/comprimento, comprimento/idade – CIzs e diferença do comprimento-para-idade – DCI), a velocidade do crescimento (z-scores para velocidade ponderal – VPzs e linear – VLzs) e o risco de desnutrição (aguda e crónica, definida como <-1DP). O neurodesenvolvimento foi rastreado em idades-chave usando o “Bayley Infant Neurodevelopmental Screening”. Os biomarcadores fecais para inflamação (S100A12) e permeabilidade intestinais (alfa-1-antitripsina - A1AT) foram medidos aos 24 meses. A presença de protozoários e helmintas intestinais foi avaliada trimestralmente por técnicas microscópicas Foram usados diferentes modelos estatísticos para estudar associações entre infecções por parasitas intestinais e os resultados das avaliações da função da barreira intestinal, estado nutricional e neurodesenvolvimento. Resultados Foram incluídos 475 recém-nascidos, representado 8,6% dos nados-vivos em São Tomé; 280 (58,9%) completaram os 24 meses de seguimento. Giardia lamblia e helmintas foram os parasitas mais prevalentes. A análise multivariável revelou que: 1) lactentes infetados com Giardia lamblia e helmintas tiveram tendência para aumento de 23,6% e 24,1% no marcador de inflamação intestinal, respectivamente; os infetados por qualquer parasita tiveram tendência para aumento de 33,6% no marcador de permeabilidade; além disso, os níveis de A1AT foram 100% superiores em lactentes com desnutrição aguda e 50% superiores nos com desnutrição crónica; 2) lactentes infetados com Giardia lamblia e helmintas tiveram associação significativa com diminuição no crescimento linear (-0,10 e -0,16 CIzs; e -0,32 e -0,48 de DCI, respectivamente); os infetados com Cryptosporidium spp. tiveram associação significativa com diminuição na velocidade de crescimento ponderal e linear (-0,43 VPzs e -0,55 VLzs); 3) a infecção por Giardia lamblia e a desnutrição crónica associaram-se independentemente e significativamente com 1,69 e 2,37 maior probabilidade de atraso no desenvolvimento, respectivamente. Conclusões Este é o primeiro estudo de coorte de nascimento em São Tomé, pioneiro em estudar associações entre infeções por parasitas intestinais e a função da barreira intestinal, estado nutricional e neurodesenvolvimento. Foi confirmado o papel subestimado dos protozoários e helmintas como agentes etiológicos de infecções intestinais subclínicas. Estas infecções revelaram uma tendência para associação com a disfunção da barreira intestinal e associações significativas com restrição do crescimento linear e neurodesenvolvimento. Estas associações são problemáticas em São Tomé, endémico para Giardia lamblia e helmintas, em contexto de proporção não negligenciável de lactentes marginalmente desnutridos. Estes poderão ter capacidade limitada para reparar lesões da mucosa, com impacto negativo no crescimento e neurodesenvolvimento, ficando comprometido o atingimento do seu pleno potencial.
Background Giardia lamblia, Cryptosporidium and Entamoeba hystolitica are prevalent etiologic agents of enteric infections in infants from low- and middle-income countries. Hostparasite interactions may lead to mucosal inflammatory response and increased intestinal permeability. Clinically this can result in a negative impact on growth and neurodevelopment. The effects of these subclinical enteric protozoa infections on infant health are poorly explored. Aim To analyze the associations between enteric parasitic infections and intestinal barrier function, nutritional status and neurodevelopment in asymptomatic infants in São Tomé. Methods A birth cohort study with a follow-up until 24 months of age was implemented. Anthropometry was assessed monthly and included attained growth (weight-for-length z-score, length-for-age z-score – LAZ, and length-for-age difference – LAD), growth velocity (weight velocity z-score – WAVZ, and length velocity z-score – LAVZ), and risk for undernutrition (wasting and stunting, using the <-1SD cut-off). Neurodevelopment was screened at key ages using the “Bayley Infant Neurodevelopmental Screening” score. Fecal biomarkers for intestinal inflammation (S100A12) and permeability (alpha 1 anti-trypsin - A1AT) were measured at 24 months of age. Enteric protozoa and intestinal helminths were examined quarterly in stool samples using microscopic techniques. Different statistical models were used to explore associations between enteric parasitic infections and the three outcomes: intestinal barrier function, nutritional status, and neurodevelopment. Results A total of 475 neonates were enrolled, representing 8.6% of live-births in São Tomé; 280 (58.9%) infants completed 24 months of follow-up. Giardia lamblia and helminths were the most prevalent parasites. The multivariable analysis showed that: 1) infants with Giardia lamblia and helminths infections had a tendency toward an increase of 23.6 % and of 24.1 % in the inflammatory biomarker, respectively; those infected by any enteric parasite had a tendency toward an increase of 33.6% in the permeability biomarker; additionally, this biomarker was 100% higher in wasted infants and 50% higher in those stunted; 2) infants with Giardia lamblia and helminths infections showed a significant association with a decrease in linear growth (by - 0.10 and -0.16 of LAZ and by -0.32 and -0,48 of LAD, respectively); those with Cryptosporidium spp. infection displayed a significant association with a decrease in weight and length velocities (-0.43 WAVZ and -0.55 LAVZ); 3) Giardia lamblia infection and stunting were independently and significantly associated with a 1.69 and 2.37 increased risk of poor development, respectively. Conclusions This first birth cohort ever performed study in São Tomé is innovative in exploring associations between enteric parasitic infections and the intestinal barrier function, nutritional status and neurodevelopment in infants. The underestimated role of protozoa and helminths as etiologic agents of subclinical enteric infections was confirmed. These parasitic infections showed a tendency of association with intestinal barrier dysfunction and significant associations with decreased linear growth and risk of poor neurodevelopment. In the context of São Tomé, an endemic area for Giardia lamblia and helminths with a non-negligible proportion of marginally undernourished infants such associations are problematic. Affected infants may have a limited capacity to repair mucosal damage, with a negative impact on growth and neurodevelopment, thus jeopardizing the achievement of their full potential.
URI: http://hdl.handle.net/10362/45433
Designação: Doutoramento no ramo da Medicina Tropical
Aparece nas colecções:IHMT: CT - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Thesis. PhD. Marisol Garzon.16.03.2018.pdf4,35 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.