Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/4212
Título: Romantismo inglês : uma interpretação
Autor: Sousa, Maria Leonor Machado de
Palavras-chave: Romantismo
Literatura inglesa
Data: 1980
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Citação: pp. 7-23
Relatório da Série N.º: ;N.1
Resumo: Apesar de se utilizar com freqüência o termo «escola romântica», apesar de ter sido possível, em certos cases, marcar datas limites para o período em que se desenvolveu a literatura dita romântica, a verdade é que nada disto é mais que convenção para facilidade de estudo. De facte, não há uma teoria romântica que defina uma praxis, «há tantos romantismes como românticos», segundo definição de um crítico (H. Bremend). Paul Valéry reforçou definitivamente esta idéia, quando considerou que «seria precise ter perdido todo o espírito de rigor para tentar definir o romantismo». O Romantismo é sobretudo um estado de espírito, que tem na base uma necessidade de afirmação pessoal do artista, cuja inspiração não cabe nos limites impostos pelos critérios de uma época e para quem a arte é uma realização de si próprio e o leva a isolar-se num mundo sò seu. Isto justifica, por exemple, que o drama seja a forma literária que menos atraiu es românticos.
URI: http://hdl.handle.net/10362/4212
ISSN: 0871-2778
Aparece nas colecções:Revista da FCSH - 1980

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RFCSH1_7_23.pdf14,84 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.