Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/7930
Título: Limites e virtudes do reducionismo ciência e literatura
Autor: Mourão, José Augusto
Data: 2001
Editora: Colibri
Resumo: O reducionismo é necessário e impossível. O cientista é reducionista por opção metodológica. Mas o humanista, em particular em Literatura, tem tendência a exorcizar o método como explicação totalitária. Dirá que a Razão, ao dissecar, separa e o Uno se perde. A querela explicar vs compreender resume um mal-entendido antigo entre a ciência e a literatura. Exporemos o princípio: melhor explicar é melhor compreender. Concluiremos que a transdisciplinaridade traz a esta querela alguma luz e operacionalidade. O medo do reducionismo é antigo e pervivente tanto mais agora que a vertigem tecnológica contamina hoje todos os campos do saber e da experiência pondo em causa o humano qua humano.
URI: http://hdl.handle.net/10362/7930
ISSN: 0871-2778
Aparece nas colecções:Revista da FCSH - 2001

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RFCSH14_117_139.pdf23,42 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.