Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/10741
Título: Curadoria de Exposições Temporárias de Arte Contemporânea em Contexto Museológico no Século XXI – O Museu da Fundação de Serralves
Autor: Pereira, Raquel Alexandra Martins
Palavras-chave: Exposições
Arte Contemporânea
Curadoria
Museu de Serralves
Data de Defesa: Mar-2013
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Resumo: O universo expositivo, reflectindo as mudanças que foram revolucionando o contexto artístico, foi-se igualmente alterando, quer em termos conceptuais quer em termos da sua materialização e instalação das peças na galeria, hoje, espaço artístico por direito próprio, que integra estas novas formas num mundo que parece não parar de surpreender. A exposição, núcleo irradiador da mais directa forma de comunicação do museu com os seus públicos, tornou-se algo tão complexo como a própria arte que integra, um acto multidisciplinar que engloba uma pluralidade de diferentes níveis e linguagens expositivas, que hoje integram em si um universo muito mais amplo, e responsabilizável, onde cada escolha repercute um conjunto de múltiplos encadeamentos conceptuais e de ordem prática que influenciaram o modo como o público vai percepcionar o que se encontra em mostra. As mostras temporárias de Arte Contemporânea tornaram-se um grampo impulsionador dos museus especializados e, nesta Dissertação pretende-se, numa primeira parte, traçar sumariamente a sua evolução histórica até aos nossos dias, e numa segunda parte apresentar três casos de estudo especificados em três exposições temporárias realizadas no Museu de Arte Contemporânea da Fundação de Serralves, nos quais através de uma abordagem mais conceptual e um estudo museográfico, se escrutinará o processo de curadoria nos dias de hoje, a ligação entre o pensamento e a prática que este integra. Através deste estudo pode-se compreender a evolução supracitada assim como a multiplicidade de práticas curatoriais existentes e a multiplicidade de tipologias practicáveis, com as suas especificidades próprias, pensada caso a caso, curador a curador, artista a artista. Hoje a exposição mais do que pensar a própria arte, permite pensar-se a si própria, tornando-se o método por excelência para se examinar, discutir ou rever, quer conceptualmente, nos temas abordados, nos artistas e peças escolhidas, quer em termos prácticos, nos meios utilizados para materializar ideias e conceitos e a instalação das peças da galeria, de forma a uma evolução constante e qualitativa.
Descrição: Dissertação apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Museologia
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10362/10741
Aparece nas colecções:FCSH: DH - Dissertações de Mestrado



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.