Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/9705
Título: Volume hospitalar e outcomes : uma análise a dados administrativos portugueses
Autor: Lucas, Francisco Pedro G. M.
Orientador: Boto, Paulo
Palavras-chave: Hospital
Qualidade
Outcomes
STA
STJ
Volume
Quality
TKR
THR
Data de Defesa: 2012
Editora: Universidade Nova de Lisboa. Escola Nacional de Saúde Pública
Resumo: RESUMO - Objetivos: Estudos anteriores demonstraram a existência de uma relação inversa entre melhores outcomes e volume hospitalar. Tendo este fenómeno em consideração, o objetivo deste estudo foi analisar esta relação a um nível populacional em Portugal. Métodos: Análise da base de dados Portuguesa dos GDH relativos ao ano financeiro de 2009. Todas as STA e STJ foram contabilizadas e critérios de exclusão determinados, para selecionar duas amostras homogéneas, analisadas por volume hospitalar. O volume hospitalar foi definido em três grupos: HVB, HVM, HVE de acordo com o volume anual de procedimentos efetuado por cada hospital individual durante o período do estudo. Os outcomes avaliados incluíram a mortalidade, presença de pelo menos uma complicação cirúrgica, estadia prolongada assim como a média de dias de internamento. A idade e sexo foram controlados como possíveis fatores de confundimento. Resultados: A investigação principal consistiu na análise de 4615 STA e 5904 STJ. Os resultados indicam que os eventos adversos (mortalidade e complicações cirúrgicas) são pouco comuns nestes procedimentos, produzindo resultados sem significância estatística. A estadia prolongada estabeleceu uma clara e significativa relação inversa com o volume hospitalar. A estadia prolongada foi superior em hospitais de volume baixo (STA OR 2.71; STJ OR 2.17) e hospitais de volume médio (STA OR 1.72; STJ OR 1.73) quando comparados com hospitais de volume elevado. Os dias de internamento médios produziram uma associação semelhante, sendo possível estimar quase oito milhões e meio de euros de custos evitáveis no ano de 2009, em ambos os procedimentos. Conclusões: O volume hospitalar não apresentou relações significativas com a mortalidade e complicações cirúrgicas, devido ao baixo número de eventos adversos registados. Verificou-se, no entanto, uma associação significativa com os dias de internamento e estadia prolongada. As STA e STJ realizadas em hospitais de volume elevado poderão reduzir custos, ao diminuir os dias de internamento.
ABSTRACT - Objective: Prior work from other authors has shown a significant inverse relationship between improved outcomes and hospital volume. Bearing this in mind, the present study had the objective of examining this relation following THR and TKR at a population level in Portugal. Methods: Analysis of the Portuguese DRG database in the 2009 financial year. All THR and TKR were accounted for, and criteria used to select two homogeneous samples according to hospital volume. Hospital Volume was defined as three groups LVH, MVH and HVH according to the annual volume performed by each hospital during the study period. Assessed outcomes were mortality, presence of at least one complication, as well as average length of stay and prolonged length of stay. Age and sex were controlled for as potential confounders. Results: Main analyses consisted of data examined from 4615 THR and 5904 TKR. Results show that adverse events (mortality and complications) were uncommon, producing no significant association with hospital volume. Prolonged length of stay established a clear and significant association with hospital volume, greater in low volume hospitals (THR OR 2.71; TKR OR 2.17) and medium volume hospitals (THR OR 1.72; TKR OR 1.73) when compared to high volume hospitals. Average length of stay produced similar results and we were able to estimate almost eight and half million Euros in avoidable costs during 2009. Conclusions: Hospital volume showed no significant associations with mortality and complications, due to low number of adverse events, but significant relationship with prolonged and average length of stay. THR and TKR performed in high volume hospitals may reduce costs by shortening the length of stay.
URI: http://hdl.handle.net/10362/9705
Aparece nas colecções:ENSP: GOSS - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RUN - Dissertação de Mestrado - Francisco Pedro Lucas.pdf3,21 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.