Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/8275
Título: O hieróglifico : da imagem à escrita
Autor: Lopes, Maria Helena Trindade
Data: 1997
Editora: Colibri
Resumo: Durante muito tempo interroguei-me por que razão a civilização egípcia era, simultaneamente, tão simples e tão atraente para as crianças. Há anos atrás, quando ouvi Arthur Rubinstein falar de Mozart dizendo que ele era demasiado fácil para as crianças e excessivamente difícil para os adultos, julguei encontar, finalmente, a resposta para a minha questão. Para uma criança, em Mozart, como no Egipto, o apelo é o da simplicida de, da naturalidade, do se ns íve l, da "melodiosa cor". Mas o adulto descobre-lhe s as diferentes camadas de sentido e mergulha numa complexidade que parece desvanecer o encanto original. Que me perdoe Mozart a quem continuadamente chamo para o horizonte egípcio, mas assim como ele "acordou" os homens e os deuses com a sua música, também os hieróglifos, os "pequenos de senhos animados" que tocam as crianças, despertaram o mundo e os homens do Egipto antigo.
URI: http://hdl.handle.net/10362/8275
ISSN: 0871-2778
Aparece nas colecções:Revista da FCSH - 1997

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RFCSH10_477_483.pdf2,93 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.