Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/8155
Título: Para uma teoria da experiência
Autor: Rodrigues, Adriano Duarte
Data: 2007
Editora: Colibri
Resumo: Tal como Santo Agostinho acerca do tempo, também podemos dizer da experiência: «se ninguém mo pergunta, sei o que é; mas se quero explicá-lo a quem mo pergunta, não sei.»^ Uma das razões da dificuldade para definir a experiência tem a ver com o facto de tanto o tempo como a experiência serem construções da faculdade de rememoração, de fazerem parte das condições da linguagem e da conseqüente possibilidade de qualquer definição. É provavelmente por isso que habitualmente falamos da experiência através das metáforas sugestivas da moldura ou do quadro^, da fronteira ou do horizonte.^ Estas metáforas têm em comum a referência a uma linha delimitadora de um território'*, dentro do qual reconhecemos os fenômenos e, nesta medida, identificamos e damos sentido aos objectos da nossa faculdade de apreensão.
URI: http://hdl.handle.net/10362/8155
ISSN: 0871-2778
Aparece nas colecções:Revista da FCSH - 2007

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
_feito (2).pdf14,42 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.