Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/8023
Título: O "rostos" do combate no Antigo Egipto
Autor: Lopes, Helena Trindade
Data: 2003
Editora: Colibri
Resumo: O combate está na ordem do dia. E, curiosamente, hoje, os discursos veiculados por aqueles que dirigem e defendem os combates, afirmam que estes não visam a agressão ou a conquista mas, unicamente, a "pacificação" do mundo. Deste modo, estes homens consagram-se, a si próprios, como "figuras iluminadas" que, cumprindo uma função quase divina, desempenham na Terra, o papel criador, estabilizador e normativo de uma divindade. Não fossem, regra geral, tão estúpidos e ignorantes, e eu acreditaria que eles radicavam a sua postura, num estudo aprofundado sobre a "função combatente" do faraó no Egipto Antigo. Senão vejamos: Existem dois conceitos, na civilização egípcia, que estão profundamente ligados: o conceito de "Estado unificado"^ e o conceito de "faraó"
URI: http://hdl.handle.net/10362/8023
ISSN: 0871-2778
Aparece nas colecções:Revista da FCSH - 2003

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RFCSH16_213_220.pdf6,88 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.