Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/7925
Título: Acerca de falas da terra. Ecologia e tradição
Autor: Guimarães, Ana Paula
Fonseca, Luís Cancela da
Data: 2001
Editora: Colibri
Resumo: O projecto Falas da Terra - Ecologia e Tradição surgiu quando à disciplina de Literatura Tradicional Oral apeteceu o transborde: a detecção de paradigmas ambientais, a descrição da fisionomia da terra. • quer enquanto solo arável: terra, corpo feminino lavrado e semeado pelo corpo masculino (o arado e a semente) ou terra tal como a quadra seguinte reiteradamente a refere: Eu sou devedor à terra A terra me está devendo A terra me paga em vida E eu pago à terra em morrendo.* Também o órgão por excelência do ser humano (porque garantia do amor e, por isso, da vida), o coração, é, no Cancioneiro, apresentado como herdade, coutada, terra literalmente cavada para semear saudades, sempre com o objectivo alfaiar - ou não fosse o lugar da fala o lugar do encontro, do diálogo: O meu coração é terra Hei-de mandá-lo cavar Para semear saudades Que tenho de te falar.
URI: http://hdl.handle.net/10362/7925
ISSN: 0871-2778
Aparece nas colecções:Revista da FCSH - 2001

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RFCSH14_47_76.pdf27,83 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.