Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/6732
Título: Leite de Vasconcelos e os Açores
Autor: Pavão, J. Almeida
Data: 1992
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Relatório da Série N.º: ;6
Resumo: A affrmação referida em epígrafe faz-nos recordar oufra similar, a encimar a notícia publicada num jornal da Capital, quando do falecimento do notável investigador, ocorrido no ano de 1941: "Morreu um sábio". Entre a affrmação que o indicava como sábio e a asserção que o colocava como "o último sábio português", somos naturalmente levados a formular estas perguntas: Que se entende por sábio? Que razões determinaram que fosse o último sábio em Portugal?. Sabedoria entre os gregos da Antigüidade não era apenas o apetiechamento adquirido, como também o equilíbrio da reflexão sobre os factos e as coisas. O ideal da harmonia total do homem, procurado por Aristóteles, não residiria apenas na ooípia (com o adjectivo correlato aocpóo, que significava saber, mas na sua correlação com a ocoçpoaiXvri (com a adjectivo correspondente acó(ppa)v), indicativa de prudência e moderação. É a tal sabedoria popular contida nos provérbios. O propósito de organizar e metodizar o pensamento, na sua relação com a reaHdade, determinou, no Organon aristotéfico, a doufrina das categorias, comentadas e reformuladas muito mais tarde por Kant. Aristóteles proclamava, no conhecimento, o primado da observação e da experiência, muito embora na prática priorizasse a especulação e o raciocínio.
Descrição: pp. 231-243
URI: http://hdl.handle.net/10362/6732
ISSN: 0871-2778
Aparece nas colecções:Revista da FCSH -1992-93

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RFCSH6_231_243.pdf10,76 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.