Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/6666
Título: A "queda da alma" na concepção popular de Macau
Autor: Amaro, Ana Maria
Data: 1989
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Relatório da Série N.º: ;4
Resumo: A mortahdade infantil foi, desde sempre, um dos factores principais da auto-regulação populacional no Império do Meio, Daí, a exphcação, quanto a nós, de que as mais variadas concepções que invadem o domínio do sobrenamral relativamente às doenças das cianças, tenham perdurado entre o povo, encontrando-se ainda, de certo modo, bastante vivas entre os chineses de Macau e também entre muitos euro- -asiáticos de ascendência chinesa, mais ou menos próxima, Um dos acidentes mais vulgares e também dos mais temidos relativamente às crianças é o susto provocado por queda, ou por intervenção de pessoa, coisa ou animal estranho ao seu mundo, ou que, inopinadamente, surja no seu caminho. Em conseqüência do susto a criança perde o apetite, chora sem se perceber porquê, apresenta sintomas de crescente agitação, dá gritos iríesperados e sem causa aparente, padece de insônias e, por fim, sobrevêm-lhe vômitos e diarreia, o pulso enfraquece e toma-se mais rápido, acabando por morrer.
Descrição: pp. 121-133
URI: http://hdl.handle.net/10362/6666
Aparece nas colecções:Revista da FCSH -1989

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RFCSH4_121_133.pdf10,62 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.