Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/17127
Título: Infecções urinárias adquiridas no hospital : resultados de um estudo de coorte realizado num serviço de medicina interna
Autor: Lobão, Maria João da Costa Nunes
Orientador: Sousa, Paulo
Palavras-chave: Infecção Associada aos Cuidados de Saúde
Infecção do trato Urinário associada a Cateter Vesical
Algaliação, Bacteriúria Assintomática
Saúde Pública
Healthcare associated Infections
Catheter associated urinary tract infection
Urinary Catheterization, Asymptomatic Bacteriuria
Public Health
Data de Defesa: 2015
Resumo: RESUMO - Introdução: As infecções associadas aos cuidados de saúde são um importante problema de saúde pública. Entre elas, as infecções urinárias são as mais frequentes associando‐se a elevados custos e morbilidade. Pretende‐se caracterizar as ITU adquiridas no Hospital (ITUaH) ocorridas num serviço de Medicina Interna de um hospital português. Métodos: Efectuou‐se um estudo de coorte (histórica) para determinação da incidência da ITUaH e da bacteriúria assintomática. Analisaram-se os dados correspondentes a uma amostra aleatória sistemática de 388 doentes, representativa dos 3492 admissões ocorridas, em 2014, nesse Serviço. Resultados: A taxa de incidência global de ITUaH foi de 6,2% (24/388; IC 95%:[3,8--‐8,6%]). Ocorreram 19,76 ITU por mil dias de cateter vesical (ITUaCV) e 4,17 ITUaCV por mil dias de internamento. A taxa de incidência de ITUaCV foi de 4% (15/388; IC 95%:[2%--‐6%]). Oitenta por cento destas infecções ocorreram em doentes sem indicação para a algaliação. Um quarto dos doentes desta coorte foram algaliados (24,7%; IC 95%: [20%--‐29%]), não se verificando indicação para o procedimento em 36,5% dos casos. Os principais factores de risco para a algaliação identificados foram a dependência total (OR: 24,47; IC 95%: [5,50--‐ 108,87]; p<0,001) a dependência grave (OR:11,43; IC 95% [2,56--‐50,93]; p=0,001) (escala de Barthel) e a carga de doença (OR: 1,19; IC 95% [1,03--‐1,38]; p=0,017) (índice de comorbilidade de Charlson). Foram utilizados CV em 759 dias dos 3591 dias de internamento quantificados neste estudo (21%). A Taxa de incidência de Bacteriúria Assintomática (BA) foi de 4,4% (IC 95%:[2--‐6%]). Cerca de 60% (10/17) desses doentes foram submetidos a tratamento contrariamente às recomendações clínicas actuais. Conclusões: Este estudo evidencia a necessidade de implementação de estratégias de prevenção, das quais se destaca a redução do número de algaliações. O tratamento da BA deve ser evitado.
ABSTRACT - Introduction: Healthcare associated infections associated are an important public health problem. Among them, the urinary tract infections are the most common, being associated to high costs and morbidity. We intend to characterize hospital-acquired urinary tract infections (HaUTI) occurred in an internal medicine department of a Portuguese hospital. Methods: An historical cohort study was carried out to determine both HaUTI and asymptomatic bacteriuria incidence. A systematic random sample of 388 patients, representative of the 3492 admissions occurred in that department in 2014, was analyzed. Results: The overall incidence rate of HaUTI was 6.2% (24/388; 95% CI:[3,8%--‐8,6%]). There were 19,76 urinary tract infections per thousand urinary catheter days (CAUTI) and 4,17 CAUTI per thousand days of hospitalization. The incidence rate of CAUTI was 4% (15/388; 95% CI:[2%--‐6%]). Eighty percent of these infections occurred in patients without indication for urinary catheterization. A quarter of the patients of this cohort had a urinary catheter (24,7%; 95% CI:[20--‐29%]), although there were no indications for the procedure in 36.5 % of cases. The main risk factors for urinary catheterization were the total dependence (OR: 24,47; 95% CI [5,50--‐108,87]; p < 0.001) and the severe dependency (OR: 11,43, 95% CI: [2,56 to 50,93]; p = 0.001) (Barthel Index) and the burden of disease (OR: 1,19; 95% CI: [1,03--‐1,38]; p=0,017) (Charlson Comorbidity Index). Urinary catheters were used in 759 days of the 3591 hospitalization days quantified in this study (21%). The incidence rate of asymptomatic bacteriuria (AB) was 4,4 % (95% CI: [2--‐6%]). Approximately 60 % (10/17) of these patients were treated contrarily to current clinical recommendations. Conclusions: This study highlights the need to implement prevention strategies, which stands to reduce the number of bladder catheterizations. The AB treatment should be avoided.
URI: http://hdl.handle.net/10362/17127
Designação: Curso de Mestrado em Saúde Pública
Aparece nas colecções:ENSP: PPS - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RUN - Dissertação de Mestrado - Maria João Lobão.pdf13,03 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.