Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/14626
Título: O impacto da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) na demora média hospitalar
Autor: Moura, Bruno Pais
Orientador: Escoval, Ana
Ribeiro, Rute Simões
Palavras-chave: Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados
Demora Média
Cuidados Continuados
Envelhecimento
Long-term care
Grupos Diagnósticos Homogéneos
Integrated Continued Care National Network
Hospital Average Length of stay
Aging
Long-term care
Diagnosis Related Groups
Data de Defesa: 2014
Resumo: RESUMO - Enquadramento: O envelhecimento dos indivíduos nos países mais desenvolvidos e o aumento da incidência de doenças crónicas associadas a estados de dependência e incapacidade têm contribuído para o desenho e implementação de novas políticas de saúde e sociais. Assiste-se, por isso, atualmente, a uma mudança no paradigma da procura de cuidados de saúde, sendo crescente a procura de cuidados de longa duração ou cuidados continuados. O desenvolvimento e implementação de novos modelos de prestação de cuidados de saúde pretendem dar resposta à crescente procura de cuidados continuados, bem como promover a eficiência dos serviços e a disponibilização de camas nos hospitais, retirando dos serviços de agudos as pessoas que não necessitam de cuidados hospitalares, mas sim de cuidados continuados. Neste contexto foi criada em Portugal a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI), como resposta ao aumento do número de pessoas em situação de dependência, e que necessitam tanto de cuidados de saúde como sociais, e à necessidade de reorganizar e promover a eficiência dos serviços de internamento hospitalar. Objetivo: Determinar o impacto da RNCCI na demora média hospitalar, no período de tempo compreendido entre 1 de Janeiro de 2009 e 31 de Junho de 2011. Métodos: O estudo realizado, com base na revisão da literatura, descreve os principais aspectos referentes ao envelhecimento dos indivíduos e aos cuidados continuados. Foram descritos diferentes modelos e programas organizacionais de prestação de cuidados continuados e o seu impacto na demora média hospitalar. Foi determinada a população em estudo no período de tempo compreendido entre 1 de Janeiro de 2009 e 31 de Junho de 2011. A população foi caraterizada de acordo com o ano e distribuída por dez trimestres para melhor tratamento estatístico e leitura dos dados. Foi considerado o sexo e a faixa etária dos indivíduos sinalizados, de acordo com o GDH de internamento hospitalar e respetiva sub-região de saúde. Foi comparada por trimestre a demora média dos internamentos hospitalares e a demora média hospitalar dos episódios referenciados a nível nacional e ao nível das sub-regiões de saúde. Foram caraterizados os GDH que representam 50% das sinalizações. Foram analisados, por semestre, os três GDH com maior número de referenciações para a RNCCI de acordo com as diferentes regiões de saúde, comparando as respetivas demoras médias nacionais e regionais. Resultados: No periodo de tempo em análise foi verificado que a população com maior utilização dos serviços da RNCCI encontra-se na faixa etária entre 65 ou mais anos, com 79,4% do total de sinalizações efetuadas. Tendo 50% das sinalizações sido referentes aos GDH 14, GDH 211, GDH 533, GDH 818, GDH 810 e GDH 209. Foi apurada uma demora média nacional compreendida entre os 7,3 dias e os 7,7 dias, comparativamente a uma demora média dos episódios referenciados para a RNCCI compreendida entre os 21,9 dias e os 33 dias, para o mesmo período de tempo. Em termos regionais a região de LVT apresenta os valores de demora média mais elevados, com um intervalo entre os 28,8 dias e os 50,3 dias de demora média. Para o GDH 14 foi observada uma demora média dos episódios referenciados compreendida entre os 14,4 dias e os 26,7 dias. No mesmo período de tempo o a demora média nacional para o mesmo GDH situava-se entre os 9,8 dias e os 10,2 dias. Para o GDH 211 foi observada uma demora média dos episódios referenciados compreendida entre os 17,2 dias e os 28,9 dias. Comparativamente a demora média nacional para o mesmo GDH situava-se entre os 12,5 dias e os 13,5 dias. Para o GDH 533 foi observada uma demora média dos episódios referenciados compreendida entre os 23,3 dias e os 52,7 dias. Comparativamente, no mesmo período de tempo, a demora média nacional para o mesmo GDH situava-se entre os 18,7 dias e os 19,7 dias. Conclusões: Foi possível concluir, quanto ao impacto da RNCCI na demora média hospitalar, que a demora média dos episódios referenciados para a Rede é superior à demora média nacional em todo o período de tempo em análise. Relativamente à demora média dos GDH com maior número de referenciações, os GDH 14, 211 e 533, verifica-se que todos eles apresentam uma demora média de referenciação superior à demora média nacional, e demora média regional para o mesmo GDH, em todo o período de tempo do estudo. Ou seja, foi possível verificar que a demora média para indivíduos com o mesmo GDH é superior nos que são referenciados para a RNCCI.
ABSTRACT - Background: The aging of individuals in developed countries and the increasing incidence of chronic diseases associated with states of disability, have contributed to the development of new social and health policies. Currently there is an increasing demand for long-term care. The new developed long-term care models intend to provide new solutions to hospital efficiency by removing people that stay hospitalized without the need of acute care, but with the need of long-term care. The Integrated Continued Care National Network (RNCCI) was created in Portugal with the purpose of providing long-term care to the increasing number of people with disabilities that require both health care and social care. One of the main goals of the RNCCI is to promote hospital efficiency and to reduce the average length of stay. Objective: The main objetive of this study is to determine the impact of the RNCCI in the hospital average length of stay in the time period between January 1, 2009 and June 31, 2011. Methods: The study describes the main aspects related to the aging of individuals and longterm care. It is mentioned the different organizational models and programs that provide longterm care and their impact on hospital average length of stay. The population under study was determined in the time period between January 1, 2009 and June 31, 2011. The population was characterized according to the year and distributed for ten quarters to better statistical processing and reading data. For the purposes of the study it was considered the following variables: sex and age of the population in study, respective Diagnosis Related Group (DRG) considering the different health regions. It was compared the average length of stay of all hospital admissions with the average length of stay of all signalized and referenced to the RNCCI episodes. It were identified the DRG responsible for 50 % of the signaling. It were identified the three DRG that have the highest rate of signalized episodes to the RNCCI. They were compared according to the different health regions, and according to their hospital average length of stay. Results: It was found that individuals with greater use of RNCCI services are in the age above 65 years old or more, with 79.4 % of the signaling . It was found that 50 % of the signals were related to DRG 14 , DRG 211 , DRG 533 , DRG 818 , DRG 810 and DRG 209 . The overall hospital average length of stay ranged between 7.3 days and 7.7 days. The hospital average length of stay of all the signalized episodes to the RNCCI ranged between 21.9 days and 33 days. The highest hospital average length of stay was found to be in Lisboa e Vale do Tejo (LVT), with a range between 28.8 days and 50.3 days, for signalized episodes. For all signalized DRG 14 episodes was found a hospital average length of stay ranged between 14.4 days and 26.7 days. In the same period of time, the overall hospital average length of stay for DRG 14 ranged between 9,8 days and 10.2 days. For all signalized DRG 211 episodes was found a hospital average length of stay ranged between 17.2 days and 28.9 days. In the same period of time, the overall hospital average length of stay for DRG 211 ranged between 12.5 days and 13.5 days. For all signalized DRG 533 episodes was found a hospital average length of stay ranged between 23.3 days and 52.7 days. In the same period of time, the overall hospital average length of stay for DRG 533 ranged between 19.7 and 18.7 days. Conclusions: It was found that the hospital average length of stay of all signalized and referenced episodes to the RNCCI is higher that the overall hospital average length of stay, considering the time period under review. All signalized and referenced DRG reveal a hospital average length of stay higher that the overall hospital average length of stay for the same DRG.
URI: http://hdl.handle.net/10362/14626
Aparece nas colecções:ENSP: GOSS - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RUN - Dissertação de Mestrado - Bruno Pais Moura.pdf1,26 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.