Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/13984
Título: A influência da rotação do trabalho na satisfação profissional dos enfermeiros no serviço de cirurgia cardiotorácia num hospital de Lisboa
Autor: DINIS, Liliana
Orientador: FRONTEIRA, Inês
Palavras-chave: Saúde pública
Enfermeiros
Rotação no trabalho
Satisfação profissional
Data de Defesa: 2012
Resumo: Introdução: O desafio que constitui a rotação no trabalho pode motivar e incentivar o trabalhador, expandindo o seu campo de ação e ampliando competências, de modo a aumentar a produtividade. No entanto quando se implementa este sistema de rotação deve existir um balanço cuidado entre qualidade e quantidade, de modo a evitar sentimentos de irritação e frustração dos profissionais de saúde, nomeadamente dos enfermeiros. Torna-se assim importante perceber a relação entre rotação no trabalho dos enfermeiros e satisfação profissional dos mesmos, visto que a satisfação profissional está associada a melhores resultados no trabalho e para a organização e, neste caso, específico relaciona-se com uma otimização dos cuidados prestados ao utente. Objetivos: O objetivo geral deste estudo é compreender o impacto da rotação no trabalho, entre secções do mesmo serviço (cuidados intensivos, intermédios e enfermaria), na satisfação profissional dos enfermeiros, do serviço de cirurgia cardiotorácica, no Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE – Hospital de Santa Marta. Material e Métodos: Trata-se de um estudo quantitativo, com desenho de investigação observacional, analítico e transversal. Foi utilizado um questionário como instrumento de recolha de dados aplicado a 55 enfermeiros, do serviço de cirurgia cardiotorácica, incluídos no sistema de rotação entre postos de trabalho, nos meses de Janeiro e Fevereiro de 2012. Realizou-se análise estatística descritiva e bivariada dos dados. Resultados: Os profissionais provenientes da UCI apresentaram, na sua maioria, rotação mínima ou inexistente. Por outro lado, os enfermeiros provenientes dos restantes sectores apresentaram rotação intermédia e alta. Quanto ao número de turnos em cada sector, a maioria dos enfermeiros muito insatisfeitos e insatisfeitos, apresenta rotação intermédia. Os enfermeiros nem satisfeitos nem insatisfeitos não apresentaram rotação ou apresentaram rotação mínima. Já, os profissionais satisfeitos e muito satisfeitos com o número de turnos por sector não realizaram rotação. Também se verificaram resultados estatisticamente significativos na satisfação quanto ao ritmo de trabalho e à tecnicidade inerente ao sistema de rotação. Em geral, os enfermeiros muito insatisfeitos e insatisfeitos e nem satisfeitos nem insatisfeitos com a rotação estão profissionalmente satisfeitos. Os enfermeiros satisfeitos e muito satisfeitos com a rotação tendem a estar profissionalmente bastante satisfeitos. Discussão: De facto, na prática de enfermagem, a presença dos profissionais provenientes da UCI, na própria unidade de cuidados intensivos, como elementos de referência, é indispensável ao bom funcionamento da mesma, sendo compreensível que o seu esquema de rotação não seja de nível intermédio ou alto. Compreende-se também que a possibilidade dos enfermeiros participarem nas decisões acerca da organização do seu trabalho devia ser continuamente valorizada. O desafio que constitui a rotação no trabalho pode motivar e incentivar o trabalhador, expandindo o seu campo de ação. Não existe associação entre satisfação global e rotação entre sectores, mas de facto existe uma verbalização informal de insatisfação por parte dos profissionais. Assim, para um estudo mais aprofundado deste fenómeno seria imprescindível a realização de um estudo que seguisse o paradigma qualitativo ou misto, de modo a compreender especificamente a relação entre rotação no trabalho, entre secções do mesmo serviço, com a satisfação profissional dos enfermeiros.
Introduction: The challenge of job rotation can motivate and encourage the workers, expanding its scope and increasing skills in order to increase productivity. However when a rotation system it’s implemented quality should take precedence over quantity, which often does not happen and can generate feelings of anger and frustration of nurses. It is therefore important to understand the relationship between nurses’ work rotation and their job satisfaction, since job satisfaction is associated with better results at work and for the organization and in this particular case relates to an optimization of care provided to wearer. Objectives: The objective of this study is to understand the impact of job rotation between sections of the same service (intensive care, intermediate and ward), in nurses' job satisfaction, in the cardiothoracic surgery service at the Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE - Hospital Santa Marta. Materials and Methods: This is a quantitative research study which design corresponds to an observational, analytical and transversal study. A questionnaire is used as an instrument of data collection applied to 55 nurses included in the system of rotation between jobs, at the cardiothoracic surgery service. It was applied in January and February of 2012. It was performed a descriptive and bivariate statistical data’ analysis. Results: It is noted that practitioners from ICU mostly showed minimal or absent rotation. Furthermore, nurses from the other sectors had intermediate and high rotation. Regarding the number of turns in each sector, it appears that the majority of nurses dissatisfied and very dissatisfied presents intermediate rotation. The nurses neither satisfied nor dissatisfied showed no rotation or minimal rotation. Still, professionals satisfied and very satisfied with the number of shifts per sector did not undergo rotation. There were also statistical significant results in satisfaction with the pace of work and the technical nature inherent in the system of rotation. In general, nurses who are very unhappy and dissatisfied and nor satisfied nor dissatisfied with the rotation are satisfied professionally. Nurses satisfied and very satisfied with the rotation tend to be professionally quite pleased. Discussion: In fact, in nursing practice, the presence of professionals from ICU in the intensive care unit itself, as reference points, is essential to the smooth functioning of the same, and it is logical that its rotation scheme is not mid-level or high. It is understood that the ability of nurses to participate in decisions about the organization of their work must be continuously enhanced. The challenge of job rotation can motivate and encourage workers, expanding its field of action. There is no association between overall satisfaction and rotation among sectors, but in fact there is an informal verbalization of disssatisfaction by the professionals. Thus, to further study this phenomenon it would be essential to carry out a study that followed the qualitative paradigm or mixed, in order to understand specifically the relationship between rotation at work, between sections of the same service with job satisfaction of nurses.
URI: http://hdl.handle.net/10362/13984
Designação: Dissertação para a obtenção do grau de Mestrado em Saúde e Desenvolvimento com a especialidade de gestão em programas
Aparece nas colecções:IHMT: SPIB - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2011-2012 Julho Dissertação MSD Liliana Dinis.pdf1,9 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.