Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10362/12172
Título: A arquitectura do Mosteiro de S. Salvador de Grijó, 1574-1636
Autor: Santos, Celso Francisco dos
Palavras-chave: Arquitectura religiosa
Mosteiro de São Salvador de Grijó
Data de Defesa: 1989
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Resumo: Rica de episódios, a história de S. Salvador de Grijó tem suscitado o interesse de investigadores que nos últimos anos se debruçaram sobre a sua família patronal e a gestão do seu domínio . Enquanto objecto artístico tem sido também tema de apontamentos de estudo de especialistas que o classificaram como um exemplar da Renascença, do Estilo Chão e do Maneirismo. A história artística do Mosteiro do Salvador de Grijó acompanhou o fervilhar ideológico do Portugal de quinhentos. A mudança da sua. comunidade para Vila Nova de Gaia e posterior regresso a Grijó é um notável documento das movimentações religiosas, culturais e artísticas do segundo e último terços do século XVI. A arquitectura deste mosteiro não nos deixou indiferentes e assim nasceu este trabalho . As fontes documentais de que dispusemos encontram-se dispersas pelo Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Arquivo Distrital do Porto e Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra. A documentação - muito extensa - é fragmentária por razões que se prendem com a destruição parcial do cartório em 1608, a extinção do mosteiro em 1770 - com a deslocação dos fundos para o Real Convento de Mafra - e naturalmente, o tempo. Na investigação deparamos com uma dificuldade provocada pelo desaparecimento dos livros de obras e também de grande parte dos de receita e despesa onde estariam concentrados os dados mais procurados para a história da arte. Por essa razão tivemos de nos socorrer de dados esparsos, numa documentação extensa mas que só marginalmente nos deu elemetos dignos de registo. Da obra de Prei Marcos da Cruz - Crônica do Mosteiro de S. Salvador de Grijo - tiramos a maior fatía das informações que se serviram sobretudo para confirmar a restante documentação. Foi por isso a nossa principal fonte documental. As crónicas de Frei Timóteo dos Mártires e Frei Nicolau de Santa .Varia serviram sobretudo para confirmar a de Frei Marcos da Cruz que é fidedigno quando se refere aos séculos XVI e XVII. O manuscrito que consultamos do Arquivo Nacional da Torre do Tombo é uma cópia do século XVII : Tem alguns acrescentamentos mas sem grande significado. Incluímos no apêndice documental algumas passagens das crócnicas de Frei Timóteo dos Mártires e Frei Nicolau de Santa Maria que estão inpressas. Fizemo-lo para facilitar a leitura deste trahalho que esperamos venha a ter alguma utilidade para a melhor compressão de um caso particular da história da nossa arquitectura - o Mosteiro de S. Salvador de Grijó.
Descrição: Dissertação de mestrado em História da Arte
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10362/12172
Aparece nas colecções:FCSH: DHA - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
T 1500_1.pdf8,94 MBAdobe PDFVer/Abrir
T 1500_2.pdf10,2 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.