DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Ciências Sociais Aplicadas >
FCT: DCSA - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/8286

Título: Relatório de Atividade Profissional e uma comparação entre o ensino da Física e da Química no ensino secundário em Portugal e Ciências em Inglaterra
Autor: Fernandes, Alexandre José Monteiro de Lima
Orientador: Teodoro, Vítor
Palavras-chave: Reflexão
Currículo
Ciência
Portugal
Inglaterra
Issue Date: 2012
Editora: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Resumo: Atualmente a informação transmite-se muito rapidamente no mundo científico. Numa perspetiva alargada, a comunidade científica é uma ampla comunidade em que os indivíduos partilham e beneficiam das pesquisas efetuadas. Tal reflete-se nas salas de aula onde a abordagem à ciência é, de um modo geral, similar na Europa. Nalguns lugares pode-se dar maior destaque aos conhecimentos científicos; noutros dá-se relevo à resolução de problemas ou a atividades relacionadas com a vida real. Podem existir diferenças nos recursos disponíveis mas o conhecimento, os métodos e a forma de pensar são considerados um património universal. Este estudo enquadra-se na pesquisa e análise dos currículos de Física e Química / Ciências que se encontram atualmente em vigor em Portugal e Inglaterra. Para se efetuar este estudo, utilizou-se um conjunto de documentos legais relativos aos programas curriculares nos dois países, bem como algumas obras de referência. A partir desta análise conseguiu-se identificar algumas semelhanças e diferenças nos currículos estudados. Assim, no currículo português os conteúdos curriculares organizam-se, inicialmente, em áreas de natureza interdisciplinar com uma índole globalizante, evoluindo para uma compartimentação dos conceitos em grupos de disciplinas seguindo uma lógica de sequencialidade progressiva. Existe um programa da disciplina que define uma sequência de ensino; os manuais seguem essa sequência, destacando o conhecimento científico e a compreensão de conceitos. No entanto, tenta-se progressivamente privilegiar um conhecimento em ação (conhecido por “ensino CTS-A: Ciência-Tecnologia-Sociedade-Ambiente”). Assim, pretende-se que o aluno não só tenha um domínio científico, mas também que obtenha competências de cidadania, que o ajudem a crescer a nível pessoal, social e profissional. No currículo inglês, com exceção dos primeiros anos de escolaridade, os conceitos organizam-se numa “coordenação multidisciplinar” através do diálogo com as outras disciplinas. As disciplinas tradicionais de física, química e biologia deixaram de ser ensinadas como disciplinas individuais passando a ser vistas como uma única disciplina juntamente com elementos de geologia e astronomia. Este fator permitiu que os alunos pudessem estudar as várias áreas de uma forma mais uniforme, sem ter de efetuar escolhas; reduziu a falta de professores (pois a quantidade de professores especializados nas diversas áreas científicas tem vindo a diminuir) e reduziu-se a quantidade de conceitos a lecionar de modo a possibilitar aos alunos tempo para investigarem e construírem um pensamento crítico. Uma forma de se conseguir atingir este objetivo é o de contextualizar o currículo das ciências fazendo com que o aluno adquira conhecimento e aplique o que aprende num contexto de mundo real ganhando assim motivação, autoestima e confiança. O aluno é incentivado a desenvolver as suas capacidades e a perceber a natureza da ciência. Deste modo, perceberá que os seus pontos de vista são importantes em termos do mundo real, científico e tecnológico. A qualidade da educação depende de variados fatores (o desenvolvimento cultural e social, o sistema educativo, os recursos investidos, a competência científica e pedagógica dos professores,…). Para se ser um bom professor há que ter uma boa competência científica, pedagógica e humana. Para isso, é necessário investir na formação contínua, na reflexão crítica e sistemática sobre as suas práticas, na partilha de saberes e experiências e na abertura à inovação e à mudança. O bom professor deixa marcas na vida dos seus alunos.
Descrição: Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Ensino da Física e da Química no 3.º ciclo do Ensino Básico e no Secundário
URI: http://hdl.handle.net/10362/8286
Appears in Collections:FCT: DCSA - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Fernandes_2012.pdf1,98 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE