DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de Geografia e Planeamento Regional >
FCSH: DGPR - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/7826

Title: As desigualdades sociais no contexto do desenvolvimento do território: uma abordagem estatística
Authors: Batista, Maria Manuela Teixeira
Keywords: Território
Desigualdades sociais
Indivíduo
Estatística
Issue Date: Mar-2012
Publisher: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Abstract: Geografia é a ciência que compreende fenómenos localizados na superfície terrestre, sobretudo a sua distribuição nos territórios e as suas relações. É uma área de estudo transversal a muitas outras ciências, naturais, físicas, biológicas e humanas. Na procura de originalidade e especificidade, foi com naturalidade que se encontrou uma temática tão antiga quanto a humanidade: as desigualdades sociais. As desigualdades sociais estão identificadas desde a criação do Homem, mas a sua importância tem sido inconstante ao longo da História, porém sempre associada a ligações de poder e a situações de vantagem dentro do mesmo grupo social ou entre grupos diferentes. As relações desiguais entre os vários agentes da sociedade podem comprometer seriamente o desenvolvimento do território. Nem sempre foi fácil identificar as desigualdades, mas atualmente a tarefa vai ficando cada vez mais acessível, através do recurso à utilização de indicadores socioeconómicos, tais como: as condições de habitabilidade e conforto, distribuição da despesa e do património, o consumo, a educação, o acesso a cuidados de saúde e o emprego ou a falta deste. A apreciação rigorosa dos acontecimentos carece de uma análise qualitativa e quantitativa. Para tal, recorremos à Estatística: descritiva e inferencial. Dada a dimensão das desigualdades sociais, quer no espaço quer no tempo, e das inúmeras variáveis que a mesma encerra, as metodologias estatísticas permitem a aferição das características e comportamentos de uma população, através da análise de uma amostra representativa de determinado universo. Além de possibilitar a descrição de acontecimentos, permitem ainda quantificá-los e localizá-los no território. O estudo de dados ao longo do tempo facilita a construção de séries temporais, que ajudam a conhecer e a perceber melhor a evolução dos fenómenos. Em Portugal, um dos segmentos populacionais mais vulnerável a desigualdades sociais é o dos agregados domésticos privados unipessoais, o mesmo é dizer que são agregados/indivíduos que residem sós, dependendo exclusivamente de si próprios. A investigação abrange todo o território nacional, numa abordagem regional.
Description: Trabalho de Projeto apresentado para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Gestão do Território
URI: http://hdl.handle.net/10362/7826
Appears in Collections:FCSH: DGPR - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
trab_projeto_Manuela Baptista_maio2012_n17987.pdf27.06 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE