DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Engenharia Civil >
FCT: DEC - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/7788

Title: Estudo experimental de escoamentos em rios com vegetação nas margens
Authors: Rodrigues, Célia Cristina Paulo Morgado
Advisor: Leal, João
Keywords: Canal de secção composta
Vegetação emergente
Capacidade de vazão de rios
Escoamento uniforme
Issue Date: 2012
Publisher: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Abstract: Quando um rio esgota a sua capacidade de vazão a água transborda do leito principal para os leitos de cheia, impondo ao mesmo uma configuração de secção composta. Esta situação dá origem a inundações com todos os seus inconvenientes. As inundações são muitas vezes atribuídas ao aumento da resistência ao escoamento provocada pela presença de vegetação ribeirinha. Esta vegetação, tal como árvores e arbustos, é muitas vezes observada nas margens de rios naturais. Assim, a presente dissertação contribui para o estudo da complexa estrutura do escoamento gerada pela existência de uma linha emergente de vegetação ribeirinha na interface entre o leito principal e o leito de cheia. De modo a compreender melhor a influência da vegetação na estrutura do escoamento, foram realizados ensaios experimentais, em regime uniforme, no Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC). Os ensaios foram efectuados com o auxílio de um velocímetro de Doppler acústico (ADV) e tiveram lugar num canal de secção composta com 10mde comprimento e 2mde largura. Neste canal, foram modeladas árvores, com um tronco de 6mm de diâmetro e copa esférica de 9cm, ao longo da interface entre o leito principal e o leito de cheia. O perfil transversal da velocidade longitudinal é fortemente influenciado pela resistência provocada pelas árvores, na medida em que a velocidade longitudinal diminui localmente atrás das árvores e na interface entre os leitos. Em consequência, o perfil transversal da velocidade apresenta uma forma aproximadamente em "V", com dois pontos de inflexão. Esta característica é muito diferente do caso sem vegetação, no qual o perfil da velocidade tem apenas um ponto de inflexão. Para várias alturas relativas, analisou-se a influência de diferentes tipos de vegetação na distribuição da velocidade longitudinal, respectiva componente de flutuação e também na distribuição das tensões de Reynolds horizontais e verticais.
Description: Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia Civil - Perfil Construção
URI: http://hdl.handle.net/10362/7788
Appears in Collections:FCT: DEC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Rodrigues_2012.pdf4.75 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE