DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de Geografia e Planeamento Regional >
FCSH: DGPR - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/7780

Title: Agenda 21 e sustentabilidade ambiental Local – o caso de estudo do concelho de Oeiras
Authors: Antunes, Miguel Rodrigues
Keywords: Ambiente
Sustentabilidade
Agenda 21
Pacto dos Autarcas,
Projectos- Motor
Recursos Hídricos
Orla Ribeirinha
Mobilidade (Sustentável).
Issue Date: Mar-2012
Publisher: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Abstract: O município e território Oeiras insere-se na NUT II Grande Lisboa e na Área Metropolitana de Lisboa (AML) ocupando 1,6% da sua superfície territorial total (INE 2001). Decorrente das modificações que tomaram lugar no território oeirense a partir do final da década de 1970 com o retorno de cidadãos das ex-colónias e pelo crescimento acentuado que caracterizou desde então até à década de 1990, urgia a planificação e orientação das acções a realizar. Assim no ano de 1994 surge o Plano Director Municipal de Oeiras (PDM-Oeiras) incluindo na sua visão estruturante e estratégica a componente ambiental. É objectivo deste trabalho analisar de que modo alguns dos documentos que surgiram após 1994 se debruçaram sobre a vertente sustentável de desenvolvimento do município. Para isso partirei de uma análise específica do documento: a Agenda 21. Este documento comum a vários municípios é a trave-mestra do desenvolvimento local sustentado a implementar, tendo sido cada território autárquico livre de direccionar a sua aplicação para as áreas consideradas prementes para o seu desenvolvimento sustentável. A noção de sustentabilidade apesar de intimamente relacionada e automaticamente remetida para o Ambiente, é extensível a outras áreas da sociedade (economia, apoio e desenvolvimento sociais, saúde, cultura, política, etc..). O executivo camarário delineou a componente ambiental como indispensável para a evolução do território, fixando desta forma um programa composto por 10 Projectos-Motor (P-M) enquadrados com as metas nacionais acordadas comunitariamente de redução até 2020 de vários indicadores ambientais (para diminuição da Pegada Ecológica local). Os P-M elaborados (1) Mega Parque Verde; (2) Vales Verdes das Ribeiras; (3) Vidas Seniores de Excelência; (4) Escolas, Empresas e Empreendedorismo; (5) Bairro 21; (6) Alternativas de mobilidade e qualidade de vida; (7) Energia, economia e qualidade de vida; (8) Orla ribeirinha – entre o estuário e o território; (9) Excelência Urbana; e (10) Melhor governância, mais cidadania” interrelacionam-se e dependem de e entre si. Destes dez (10) P-M serão motivo de tratamento e análise metade, ou seja, cinco (5) considerados para o objectivo desta dissertação os Projectos - Motor: 1 - Mega Parque Verde; 2 - Vales Verdes das Ribeiras; 6 - Alternativas de mobilidade e qualidade de vida; 8 - Orla ribeirinha – entre o estuário e o território e 9 - Excelência Urbana).
Description: Dissertação apresentada para obtenção do grau de Mestre em Gestã do Território - Área Especialização Ambiente e Recursos Naturais
URI: http://hdl.handle.net/10362/7780
Appears in Collections:FCSH: DGPR - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação_Miguel_Antunes_ARN.pdf3.5 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE