DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Médicas (FCM) >
FCM Áreas de Ensino e Investigação >
FCM: Saúde das Populações >
FCM: Políticas e Serviços de Saúde >
FCM: Políticas e Serviços de Saúde - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/7740

Title: Income and mental health 
Authors: Silva,  Maria Manuela Correia Vieira da
Keywords: Mental Health 
Income
Socioeconomic Factors
Social Class
Rendimento
Distribuição do rendimento
Esatatuto sócio-económico
Determinantes sociais
Vizinhança
Saúde Menrtal
Portugal
Issue Date: 2012
Publisher: Faculdade de Ciências Médicas. Universidade Nova de Lisboa
Abstract: RESUMO: A enorme carga e o sofrimento provocado pelas doenças mentais no mundo tornam imperioso conhecer melhor os seus determinantes. Combater as desigualdades em saúde tornou-­‐se uma prioridadade de saúde pública, mas é necessário estabelecer as suas vias causais para ser possível implementar intervenções e políticas efetivas. A literatura científica tem sugerido a importância dos determinantes sociais na etiologia e evolução das principais doenças mentais e do suicídio, com especial ênfase no papel da desvantagem social. Ainda assim, o papel dos fatores psicossociais na saúde mental, e especificamente o papel do rendimento e da sua distribuição, não tem sido investigado no meu país, Portugal. No meu projeto de investigação proponho-­‐me a estudar se em Portugal existe uma associação entre as doenças mentais e o rendimento absoluto e relativo. Pretendo usar os dados do primeiro inquérito epidemiológico sobre saúde mental realizado em Portugal, um inquérito nacional transversal no domicílio que foi conduzido em 2009,integrado no WHO World Mental Health Survey Consortium. Nesta tese de mestrado apresento os resultados da minha revisão da literatura sobre a relação entre o estatuto socio-­‐económico e a saúde mental e esboço uma proposta de pesquisa para continuar a investigar este tema. A evidência que apresento mostra que a exposição a um vasto leque de riscos psicossociais, como o baixo rendimento, a educação limitada e o estatuto ocupacional baixo,aumenta a probabilidade de desenvolver problemas de saúde mental. As diferenças em saúde seguem um gradiente social, com piores resultados de saúde à medida que a posição na hierarquia social diminui. Também sumarizo a literatura sobre o papel do contexto na produção de desigualdades em saúde para além das características individuais. Tem especial interesse o potencial efeito na saúde do rendimento relativo e a importância da distribuição dos rendimentos como determinante de saúde. Finalmente,delineio os possíveis mecanismos através dos quais o estatuto socio-­económico contribui para as disparidades em saúde.
URI: http://hdl.handle.net/10362/7740
Appears in Collections:FCM: Políticas e Serviços de Saúde - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Silva Manuela TM 2012.pdf1.74 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE