DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de Linguística >
FCSH: DL - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/7404

Title: O estatuto das pseudo relativas em português europeu
Authors: Fernandes, Bruno Emanuel Pinto Ramos
Keywords: CIP
Pseudo Relativas
Aposição
Issue Date: Mar-2012
Publisher: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Abstract: Quando Cuetos e Mitchell (1988) publicaram os resultados do seu estudo sobre aposição de relativas, colocaram em causa a universalidade dos princípios de parsing, em especial o de Aposição mais baixa, já que falantes de Espanhol preferiam uma aposição alta de relativas quando perante duas opções de aposição e falantes de Inglês preferiam aposição baixa. Desde então muitas explicações têm sido avançadas e, ainda que existam estudos que comprovem a preferência universal por aposição baixa em tarefas online, a distinção encontrada em tarefas offline continua por explicar. Grillo e Costa (2011) defendem que, ao contrário do assumido, os pronomes relativos that e que não são iguais porque o pronome relativo do Espanhol pode, ao contrário do pronome relativo do Inglês, introduzir Pseudo Relativas, e, nos contextos em que essa estrutura pode ser projectada, ela força uma aparente aposição alta, e é devido a esta distinção entre pronomes relativos que se obtém a diferença obtida entre línguas em tarefas de questionário. Estes autores predizem que qualquer estrutura semelhante à Pseudo Relativa deverá influenciar aposição alta em contextos de Pseudo Relativa e aposição baixa em contextos de oração relativa. Nesta tese testamos esta predição para a Construção Infinitiva Preposicionada numa tarefa de questionário cruzando disponibilidade de estrutura Pseudo Relativa e posição. A segunda experiência é uma repetição da primeira mas com Pseudo Relativas em Português Europeu, uma estrutura disponível na língua, mas cuja disponibilidade sofre grande variação. Devido a esta variação realizámos um terceiro teste que nos permitisse entender que interpretação os falantes obtêm desta estrutura e observar que características gramaticais podem influenciar essa interpretação. Os resultados dos primeiros dois testes mostram uma clara influência da disponibilidade da estrutura PR na determinação da aposição.
Description: Dissertação apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Ciências da Linguagem
URI: http://hdl.handle.net/10362/7404
Appears in Collections:FCSH: DL - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
O Estatuto das Pseudo Relativas em Português Europeu - Bruno Fernandes.pdf888.27 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE