DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de História da Arte >
FCSH: DHA - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/7271

Title: Problemáticas museológicas do vídeo na Arte Contemporânea
Authors: Marto, Ana Catarina Gonçalves Valente
Issue Date: Sep-2011
Publisher: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Abstract: O vídeo na arte contemporânea é essencialmente um campo de cruzamento de áreas e um formato que tem conhecido uma constante evolução dos seus suportes. Tal repercute-se na indeterminação e diversidade terminológica deste medium. O primeiro enfoque da dissertação é uma observação da postura do receptor ao longo da História da Arte do século vinte, cuja determinação evolui do conceito de ‘visitante’ para o de ‘sujeito emancipado e inter-actuante’. O medium vídeo é de seguida inscrito numa história mais vasta da imagem em movimento, de onde lhe advém uma predeterminada ‘carga negativa’, enquanto mediador e pelo seu carácter imaterial. A arte enquanto campo perceptivo conheceu uma gradual ‘desumanização’ e um distanciamento entre o artista e o público, pela introdução da técnica. Confrontado com a concorrencial paisagem tecnológica actual e seus rápidos desenvolvimentos, o vídeo, enquanto suporte, banalizou-se. Abordam-se as alterações correlativas no campo perceptivo e as reflexões em torno das novas tecnologias, na área da estética. Os conceitos chave na área da conservação da arte contemporânea são a impermanência e os ‘media variávéis’. Neste quadro, quais as problemáticas que este medium põe aos museus e centros de arte contemporânea? Como deve a museologia lidar com as novas linguagens da arte contemporânea, todos os novos dados tecnológicos e correlativas consequências no campo perceptivo? Qual o papel do museu neste contexto? Que tipo de actividades podem ser desenvolvidas em torno deste médium, para suprir as suas características ‘negativas’? O estudo de caso, Téléthèque, Encontros Videográficos, enquanto projecto curatorial, propõe algumas respostas a estas questões e fornece exemplos concretos na abordagem de obras videográficas a um dispositivo de apresentação de obras, limitado e fixo. Este último factor evidenciou as características formais heterogéneas do vídeo na arte contemporânea. O projecto Téléthèque consistiu na organização de conversas com artistas, em torno de obras videográficas, com eventual apoio documental. O carácter presencial do projecto é relevante face à ucronia induzida pelas novas tecnologias. A reflexão sobre o projecto alarga-se e reflecte sobre o papel a desempenhar pelos museus enquanto ponto de encontro comunitário, para a consolidação de uma rede artística e de uma comunidade de maneira geral.
Description: Dissertação de Mestrado em Museologia
URI: http://hdl.handle.net/10362/7271
Appears in Collections:FCSH: DHA - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Capa.pdf241.78 kBAdobe PDFView/Open
Indice.pdf177.15 kBAdobe PDFView/Open
Problemáticas Museológicas do Vídeo na Arte Contemporânea.pdf56.49 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE