DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de História >
FCSH: DH - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/7244

Título: Gestão de acervos: proposta de abordagem para a organização de reservas
Autor: Amaral, Joana Rebordão
Palavras-chave: Reserva de museu
Museu
Conservação preventiva
Issue Date: Mar-2011
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Resumo: O presente trabalho foi realizado tendo como objectivo o desenvolvimento de um instrumento de análise e apoio técnico à decisão, que inclui também conteúdos de conhecimento pertinentes para a gestão e organização de reservas em contexto museológico explorando as formas organizativas e as metodologias de gestão de acervos que se encontram fora do contexto expositivo. Este trabalho integra-se num projecto do qual fará parte a preparação de uma publicação destinada a orientar o trabalho a desenvolver por profissionais no planeamento e programação de reservas, contribuindo para a elaboração e sistematização de critérios aplicáveis a diferentes realidades do panorama museológico. No seguimento deste objectivo foram realizadas visitas a vinte e nove museus portugueses, seleccionados segundo critérios que garantissem a diversificação e constituindo uma amostra de dimensão representativa, para identificar metodologias de organização de reservas, enquadradas em diferentes propostas de programação. Importava também alargar o conhecimento de situações reais de acervos em reservas que estão em funcionamento, expressando os vários tipos de reserva existentes, e perceber como condicionam e como se articulam, em cada caso concreto, os aspectos relacionados com o edifício, o acervo, os equipamentos e o mobiliário de reserva, bem como os recursos existentes para gestão do acervo, tendo em conta a sua utilização no funcionamento da instituição. A instalação de objectos em reserva é uma das principais medidas da conservação preventiva e esta situação particular em que se encontram os bens culturais permite assegurar a gestão de riscos através do desenvolvimento de técnicas que possibilitam prognosticar os riscos potenciais para os objectos, não apenas em reserva, mas também em situações de exposição, de empréstimo, ou outras acções que impliquem o manuseamento, e limitar esses riscos através de uma avaliação do edifício, do estabelecimento de planos de segurança, de regulamentos de empréstimo, de normas de manuseamento e do estabelecimento de limites para a utilização de objectos funcionais. As reservas, e em particular as suas condições, assumem assim um papel fundamental na sobrevivência de bens culturais em museus. A programação museológica permite articular todos estes factores tornando a reserva adequada ao museu, dotando este não apenas de um espaço onde se guarda o acervo, mas sobretudo de um conjunto de procedimentos adequados, que permitem a utilização desse acervo sem pôr em causa a sua preservação.
Descrição: Trabalho de Projecto apresentado para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Museologia.
URI: http://hdl.handle.net/10362/7244
Appears in Collections:FCSH: DH - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Joana Amaral 31mar2011.pdf515,29 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia