DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de Estudos Políticos >
FCSH: DEP - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/7165

Title: A Saída Voluntária de um Estado membro da Zona Euro (e UE). Caso Concreto de Portugal
Authors: Travassos, Ana Isabel Goulão Salvado
Keywords: Crise
Zona Euro
Integração Europeia
União Europeia
Portugal
Estados membros
Credibilidade
Desequilíbrios Económicos
União Política
Issue Date: Sep-2011
Publisher: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Abstract: A crise económico-financeira mundial a que não escaparam os países da União Europeia, veio não só acentuar as dificuldades económicas existentes nos seus Estados membros da periferia e da Zona Euro, menos desenvolvidos economicamente, com uma estrutura produtiva específica e desprovidos dos instrumentos de política monetária e cambial para o seu equilíbrio macroeconómico, como Portugal, a Grécia e a Irlanda, mas também revelar as fragilidades do processo de integração europeia. As instituições comunitárias não se mostraram capazes, pelo menos no início, de travar a degradação económica destes países, todos eles membros do Euro, que tiveram, ou foram obrigados, a pedir auxílio financeiro internacional para poderem sanear as suas contas e evitarem a chamada “bancarrota” e a sua possível saída da Zona Euro, como solução para resolverem os seus graves problemas internos. A suceder um abandono da Zona Euro, seria a primeira vez que tal ocorreria na história da integração europeia e as repercussões far-se-iam sentir tanto no país demissionário, como na União Europeia. Estudar a possibilidade e a viabilidade política, económica e jurídica, ao abrigo dos tratados comunitários, da saída, cada vez mais eminente e mais falada, de um Estado do Euro, concretamente de Portugal, é o objectivo deste trabalho, que, logo à partida, se deparou com o grande problema da falta de documentação específica sobre a questão em estudo. Entre os efeitos, para Portugal, do seu abandono da Zona Euro, apontam-se, pela negativa, o agravamento da sua dívida externa e, pela positiva, a recuperação dos instrumentos de política monetária para resolução dos seus muitos desequilíbrios macroeconómicos. Já, para a União Europeia, os efeitos mais visíveis são a perda de credibilidade no panorama internacional e o revés no projecto da união política. No essencial, apurou-se pela necessidade de medir criteriosamente os custos e benefícios de uma eventual saída de Portugal da Zona Euro, possível do ponto de vista jurídico e hoje viável em termos políticos e sobretudo económicos.
Description: Dissertação apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Ciência Política e Relações Internacionais, Especialização de Estudos Europeus.
URI: http://hdl.handle.net/10362/7165
Appears in Collections:FCSH: DEP - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
A Saída Voluntária de um Estado membro da Zona Euro (e UE).pdf2.85 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE