DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Ciências da Vida >
FCT: DCV - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/7067

Title: Estudo e optimização da técnica de fiação húmida para produção de microfibras de quitosano
Authors: Delgado, André Filipe da Silva
Advisor: Silva, Jorge
Borges, João
Keywords: Quitosano
Engenharia de tecidos
Microfibras
Fiação húmida
Optimização
Modelo contínuo
Issue Date: Sep-2011
Publisher: FCT-UNL
Abstract: O quitosano é um dos materiais mais importante para a engenharia de tecidos. Este polímero resulta da desacetilação da quitina, o segundo polímero natural mais abundante. Entre as suas propriedades mais importantes contam-se a biocompatibilidade, a biodegradabilidade e o facto de poder ser moldado em fibras, filmes, géis e esponjas. Neste trabalho recorreu-se à técnica de fiação húmida para produzir microfibras de quitosano. Inicialmente, variaram-se parâmetros como a concentração do polímero, a velocidade de enrolamento da fibra e o tipo de secagem. O melhor resultado obteve-se a partir de uma concentração de quitosano de 3% e secar as fibras numa folha de acetato. Seguidamente, procedeu-se à optimização do processo de produção das fibras, com vista ao melhoramento das suas propriedades mecânicas. Testaram-se vários aditivos – poli(óxido de etileno), polietilenoglicol e glicerol – e fizeram-se variar a temperatura do banho de coagulação e o solvente do quitosano – trocou-se o ácido acético pelo ácido láctico. Após testes de tracção, espectroscopia de infra-vermelhos e microscopia electrónica de varrimento foi possível caracterizar todas as fibras produzidas. Concluiu-se que as fibras de quitosano dissolvidas em ácido láctico a 2% e coaguladas num banho de NaOH 1M com uma temperatura entre 42ºC e 45ºC são as que melhores propriedades apresentam. A estas fibras foram feitos testes de variação de pH e absorção de água. Percebeu-se que após re-hidratação e nova secagem as fibras apresentam-se neutras (pH ≈ 7) mas perdem drasticamente a capacidade de absorção. Foi produzida uma matriz com três camadas destas fibras sobrepostas, rodadas de 90º relativamente à camada inferior. Realizaram-se culturas celulares, que apesar de não terem revelado a proliferação das células, não excluem esta matriz como substrato para a adesão e cultura de células. Finalmente, foi projectado e construído um modelo contínuo de fiação húmida que permite realizar a coagulação e a secagem das fibras em sequência.
Description: Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia Biomédica
URI: http://hdl.handle.net/10362/7067
Appears in Collections:FCT: DCV - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Delgado-2011.pdf5.93 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE