DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de Ciências da Educação >
FCSH: DCE - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/6975

Title: A promoção da auto-eficácia na aprendizagem da história: estudo no 7º ano de escolaridade
Authors: Batista, Maria Emília Ramos Vaz
Advisor: Nogueira, João Manuel Nunes da Silva
Keywords: Auto-eficácia académica
Construtivismo
Rendimento escolar
Issue Date: Sep-2011
Publisher: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Abstract: O estudo tem como objectivo perceber se a abordagem metodológica de inspiração construtivista influencia positivamente a auto-eficácia e os resultados dos alunos do 7º ano de escolaridade na disciplina de História. O construtivismo concebe a aprendizagem como um processo de construção por parte dos alunos e descreve como surge a compreensão conceptual mais profunda (Fosnot, 1999). A História, como disciplina dedicada à compreensão do passado pode ser construída também pelos alunos (Bruner, 2000). O ensino é crucial, sendo um dos factores que pode afectar os julgamentos de eficácia dos alunos (Bandura, 1994, 1998). Este estudo decorreu ao longo do 1º Período do ano lectivo de 2010/2011, com quatro turmas intactas divididas em dois grupos, num total de 101 alunos. O questionário SEQ-C (Self-Efficacy Questionnaire for Children) (Nogueira, 2008), acrescido, agora, da escala de auto-eficácia em História, foi administrado aos participantes no início, a meio e no final do Período, seguido sempre da realização de uma ficha de avaliação. O instrumento apresentou uma boa consistência interna nos domínios da auto-eficácia académica, social, emocional e em História. A primeira intervenção de inspiração construtivista, com grupo de turmas 1, ocorreu até meio do 1º Período e a segunda intervenção, com grupo de turmas 2, decorreu até final do mesmo Período. Assim, cada grupo serviu de controlo a si próprio. Neste estudo, a metodologia numa linha construtivista revelou uma diferença significativa favorável ao grupo 1 nos resultados escolares. Esta diferença já não se manteve, quando, posteriormente, foi ministrado aos alunos um ensino expositivo, que Bruner (2000) denomina de ensino didáctico. O estudo não revelou diferenças significativas na auto-eficácia entre os dois grupos de turmas. A duração das intervenções no estudo, pode ter sido insuficiente em termos de possibilitar a mudança das crenças de auto-eficácia.
Description: Dissertação apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Ciências da Educação, área de especialização em Análise e Intervenção em Educação
URI: http://hdl.handle.net/10362/6975
Appears in Collections:FCSH: DCE - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
maria emilia.pdf3.28 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE