DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Química >
FCT: DQ - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/6813

Título: Uma abordagem a sistemas de crescimento celular apical: síntese de um sensor para iões citosólicos de potássio
Autor: Carvalho, Rute Isabel dos Santos
Orientador: Lourenço, Ana
Ferreira, Luísa
Issue Date: 2011
Editora: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Resumo: Este trabalho descreve os estudos realizados no desenvolvimento de um sensor fluorescente, solúvel em água, com potencial aplicação na quantificação de iões de potássio citosólicos. O sensor fluorescente de iões de potássio, ou PBFI/Dextrano, é constituído por duas unidades estruturais: dextrano 9,000-11,000 Da (produzido pela bactéria Leuconostoc mesenteroides) ligado, através de uma função éster, ao indicador fluorescente PBFI (Potassium - binding benzofuran isophtalate). O PBFI é um fluoroionóforo formado por duas sub - unidades de benzofuranoisoftalato e pelo ionóforo 18-diazocoroa-6, obtido através da síntese convergente de uma unidade de 4,4’-(1’’,4’’,10’’,13’’-tetraoxa- 7’’,16’’-diazociclo-octadecano 7’’,16’’-di-il) bis(5-metoxi 2-hidroxibenzaldeído) a duas unidades de 4-metilbromo-isoftalato de dimetilo por um processo de duas etapas por tratamento com carbonato de potássio em diferentes solventes. Obteve-se uma mistura de sais de carboxilatos de potássio e ésteres metílicos, com uma média de duas unidades de potássio por molécula. A sua estrutura foi determinada por ressonância magnética nuclear, espectrometria de massa de MALDI-TOF e espectroscopia de emissão atómica (ICP-AES). A fluorescência do indicador foi analisada por espectroscopia de Ultravioleta / Visível. Esta última permitiu retirar informações sobre a absorção e emissão da amostra. O sensor fluorescente PBFI/Dextrano foi obtido pela condensação do PBFI, através do seu grupo funcional carboxilato, à unidade de dextrano por uma transformação de dois passos: activação do carboxilato através do seu derivado de benzotriazole seguido da condensação com o dextrano. Depois de determinada a estrutura do sensor, pelas técnicas mencionadas anteriormente, fez-se um estudo de fluorescência usando as mesmas condições, descritas na literatura, para o PBFI. Verificou-se um máximo de emissão fluorescente a 553 nm (601 nm no caso do indicador PBFI) e observou-se, através do espectro de excitação fluorescente, que a intensidade do sinal aumenta com o aumento da concentração de K+. O sensor mostrou ser sensível a uma gama de concentrações de soluções tampão contendo iões potássio.
Descrição: Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Bioorgânica
URI: http://hdl.handle.net/10362/6813
Appears in Collections:FCT: DQ - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Carvalho_2011.pdf3,91 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia