DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
Revista da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas >
Revista da FCSH -1992-93 >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/6701

Título: A produção de ânforas de tipo lusitana 2 dos fornos de olaria (Pinheiro, Álcácer do Sal)
Autor: Diogo, A. M. Dias
Issue Date: 1992
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Relatório da Série N.º: ;6
Resumo: Em território português são já conhecidas quatio áreas geográficas produtoras de ânforas romanas: os cursos inferiores dos rios Tejo e Sado, e as costas marítimas do Alentejo e do Algarve, acompanhando a distribuição das fábricas de transformação do pescado (Diogo, 1987). Excepto no que respeita a algumas das produções algarvias (Diogo, 1990), os fabricos das várias áreas assemelham-se, com pastas, formas e cronologias muito próximas. De um modo genérico, as pastas são arenosas, quartzíticas e micáceas, de textura folheada e tonalidade variando entie o alaranjado e o bege. As superfícies são ásperas, alisadas com um trapo ou a pincel, por vezes revestidas de um engobe acastanhado. Graças à descoberta de um forno em Alcácer do Sal, que temos vindo a escavar*^', sabemos já que, no curso inferior do Sado foram produzidas ânforas ibero-púnicas, de tipo Maná A 4. Estas ânforas são características da área de influência gaditana, e comprovam a existência de conservação do pescado e sua comercialização externa para o período pré-romano. O início da tiansformação piscícola em território actualmente português tem vindo a ser tradicionalmente datado da segunda metade do século I, acompanhando a chamada intiodução das ânforas de tipo Dr. 14. No entanto, para além de ser necessário fazer recuar a data do início da produção das Dr. 14 lusitanas, a que chamámos Lusitana 2, para a primeira metade do século I, publicámos já um tipo mais antigo, tardorepubficano, também de produção sadina, as Lusitana 1, cuja forma íbrida provém das Maná A 4 e é protótipo das Lusitana 2 (Diogo, 1987, Diogo e Reiner, 1987, Diogo e Alves, 1988/89)
Descrição: pp. 145-151
URI: http://hdl.handle.net/10362/6701
ISSN: 0871-2778
Appears in Collections:Revista da FCSH -1992-93

Files in This Item:

File Description SizeFormat
RFCSH6_145_151.pdf3,95 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE