DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente >
FCT: DCEA - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/6318

Título: Avaliação da carga poluente afluente a uma massa de água – rio de S. Domingos
Autor: Marteleira, Rita Gonçalves Simões
Orientador: Coelho, Pedro
Bicudo, Pedro
Palavras-chave: Modelação de águas interiores
Modelo QUAL2E
Qualidade das águas balneares
Rio de S. Domingos
Peniche
Molhe leste
Issue Date: 2011
Editora: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Resumo: A crescente prática de desportos aquáticos de ondas tem vindo a levantar a questão da monitorização da qualidade das águas balneares, fora da sazonalidade típica destas análises, sendo que os praticantes destas modalidades, em cenários de Inverno, se encontram muitas vezes em situações de risco devido à exposição a águas contaminadas. Foi nesta óptica que se seleccionou o rio de S. Domingos e as praias de Molhe Leste e Supertubos,em Peniche, como objectos de estudo desta dissertação, sendo locais muito requisitados por praticantes de desportos de ondas e, simultaneamente, conhecidos pela fraca qualidade que as suas águas muitas vezes apresentam. Como ferramenta para a simulação da qualidade das águas interiores, no local físico do rio de S.Domingos e respectivos afluentes, recorreu-se ao modelo QUAL2E desenvolvido pela United States Environmental Protection Agency (USEPA). A utilização de modelos de simulação da qualidade da água permite prever o comportamento do sistema em estudo face a vários cenários, constituindo assim um instrumento de suporte à gestão desse sistema. Consideraram-se, para a referida modelação, possíveis fontes de contaminação, como os efluentes da ETAR da Atouguia da Baleia, os efluentes de três suiniculturas em operação na bacia hidrográfica estudada, e ainda uma estimativa da poluição difusa determinada pelas práticas agrícolas desenvolvidas nessa bacia hidrográfica. Foram considerados três cenários de simulação,diferenciados pelo regime de escoamento considerado, assumindo-se um cenário de ano médio para os valores médios anuais de escoamento, um cenário de semestre húmido caracterizado pelos valores médios de escoamento registados nos meses de Janeiro e Fevereiro, e ainda um cenário de semestre seco que considerou os valores de escoamento inerentes aos meses de Julho e Agosto. Para o cenário de semestre húmido, e face ao objectivo do estudo desenvolvido, procedeu-se à estimativa da dispersão em meio marinho determinada pela contaminação microbiológica apurada para a foz do rio de S. Domingos, de forma a obter valores de contaminação microbiológica em Supertubos que permitissem concluir acerca do risco associado à exposição a essas mesmas águas, num cenário de Inverno, por um praticante de desportos de ondas, uma vez que a prática frequente destas actividades ocorre maioritariamente nos meses de Inverno, que não são contemplados no período temporal das análises de qualidade das águas balneares, obrigatoriamente realizadas a nível nacional. Adicionalmente, os meses de Inverno são característicos de um maior caudal para o rio de S. Domingos, o que por sua vez origina um maior volume descarregado para o meio marinho. Para esta dispersão, foram também considerados dois cenários, sendo o primeiro relativo apenas a uma dispersão superficial, e contemplando o segundo uma dispersão dos contaminantes em profundidade ao longo de toda a coluna de água.
Descrição: Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente – Perfil de Engenharia Sanitária
URI: http://hdl.handle.net/10362/6318
Appears in Collections:FCT: DCEA - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Marteleira_2011.pdf4,09 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE