DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente >
FCT: DCEA - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/6312

Title: Implementação de sistemas de gestão ambiental em áreas protegidas
Authors: Abreu, Joana Barata Marques de
Advisor: Videira, Nuno
Issue Date: 2011
Publisher: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Abstract: As áreas protegidas (AP) são zonas bem delimitadas, que pretendem salvaguardar a natureza e proteger as paisagens e áreas com especial interesse do ponto de vista ecológico, científico,recreativo, turístico e cultural. São, por isso, geridas de modo a que estes valores se mantenham o mais possível intactos. Como qualquer organização interessada em melhorar o desempenho ambiental das suas actividades, produtos e serviços, as AP têm, também elas ao seu dispor, referenciais normativos de suporte a uma abordagem sistémica e voluntária dos seus aspectos ambientais. Entre os referenciais normativos, enquanto instrumentos de aplicação voluntária, encontram-se a ISO 14001:2004 e o EMAS (“Eco-Management and Audit Scheme”). Pretende investigar-se, neste trabalho, as motivações e constrangimentos, benefícios e dificuldades sentidos por estas áreas, face aos sistemas de gestão ambiental ISO 14001 e EMAS,assim como explorar o desenvolvimento de um modelo de implementação de um sistema de gestão ambiental ajustado às AP. Neste sentido, pretende retirar-se ensinamentos para a elaboração de directrizes, que potenciem a certificação pela ISO 14001, ou o registo no EMAS, por mais AP. De forma a se poder desenvolver a presente dissertação, e após uma revisão do estado da arte existente, procedeu-se ao envio de questionários a várias AP europeias que se encontram certificadas segundo a ISO 14001:2004 e/ou registadas no EMAS. Da análise e cruzamento dos dois factores acima mencionados, e apesar de se verificar a obtenção de benefícios, constata-se que os principais factores que influenciam a não certificação/registo de um maior número de AP são: a fraca difusão que a ISO 14001:2004 e EMAS ainda têm junto de organizações não corporativas; os custos associados (directos e indirectos); a necessidade inicial de recursos humanos e a inexistência de linhas de orientação que ajudem os gestores das AP a implementarem a ISO 14001 ou o EMAS nestas organizações. No sentido de alterar esta tendência, elaborou-se um conjunto de directrizes e de boas práticas.
Description: Dissertação apresentada na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa para obtenção do grau de Mestre em Engenharia do Ambiente, perfil Gestão e Sistemas Ambientais
URI: http://hdl.handle.net/10362/6312
Appears in Collections:FCT: DCEA - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Abreu_2011.pdf4.41 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE