DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Engenharia Civil >
FCT: DEC - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/6267

Título: Reactividade de pozolanas para argamassas e betões
Autor: Pontes, Jorge Miguel Pires do Nascimento
Orientador: Silva, António
Faria, Paulina
Palavras-chave: Pozolana
Cimento
Cal
Ensaios de reactividade
Issue Date: 2011
Editora: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Resumo: Muitos materiais, ricos em sílica e/ou alumina, em granulometria fina, podem ser utilizados como pozolanas em argamassas e betões. As pozolanas podem ser utilizadas como adições, contribuindo para a optimização das argamassas e dos betões, na medida em que lhes conferem uma melhoria do ponto de vista de algumas características, como a sua durabilidade. Alguns destes materiais são naturais, sendo os restantes artificiais. As pozolanas naturais necessitam geralmente apenas de um tratamento de redução da granulometria; as artificiais são obtidas após tratamento térmico e, por vezes, também de granulometria. Estas últimas podem resultar de subprodutos industriais, valorizando esses resíduos e contribuindo para a sustentabilidade da construção onde venham a ser aplicados. De forma a avaliar a viabilidade do seu tratamento e da sua utilização, interessa aferir a reactividade pozolânica destes materiais. Na bibliografia são descritos alguns métodos para determinação deste parâmetro. No entanto, a sua viabilidade para cada tipo de pozolana não está ainda devidamente estabelecida e a sua utilização necessita de ser bem fundamentada. Assim, neste trabalho fez-se o levantamento dos diversos métodos existentes para avaliação da reactividade pozolânica; aferiu-se a viabilidade destes; aplicaram-se os diferentes métodos a uma mesma pozolana artificial e cada um a diferentes pozolanas. Com base na análise dos resultados obtidos, concluiu-se que a reactividade das pozolanas está dependente da composição química e mineralógica, percentagem de fase amorfa presente e superfície específica. Relativamente a que ensaio utilizar, concluiu-se que a escolha deve depender da finalidade do estudo da reactividade e da aplicação da pozolana. Assim, se se pretende estudar a viabilidade de utilização de um material como pozolana, o ensaio de Chapelle é o mais indicado; para cimentos pozolânicos, deve-se usar o ensaio normalizado de Fratini; para dimensionamento e determinação de resistência mecânica, o ensaio de Índice de Actividade continua a ser o mais indicado.
Descrição: Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia Civil – Perfil de Construção
URI: http://hdl.handle.net/10362/6267
Appears in Collections:FCT: DEC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Pontes_2011.pdf5,5 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE