DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de Estudos Políticos >
FCSH: DEP - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/5714

Título: As Características Teocráticas do Regime Político Iraniano e a Respectiva Influência na Formulação da Política Externa do País
Autor: Saraiva, Rui Faro
Orientador: Rodrigues, Teresa
Sousa, Luis
Palavras-chave: Idealismo
Interesse nacional
Irão
Pan-islamismo
Política
Externa
Realismo
Secularismo
Teocracia
Xiismo duodecimano
Issue Date: Sep-2010
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Resumo: O derrube da monarquia secular do Xá Reza Pahlavi através da revolução islâmica iraniana de 1979, permitiu a emergência de um regime híbrido com traços teocráticos, onde imperam os preceitos e as normas clericais do xiismo duodecimano sobre as instituições republicanas. O Velayat-e Faqih e a República Islâmica do Irão nasceram assim com a referida revolução, através do seu pai fundador, Ayatollah Khomeini, formando-se uma nova ordem interna dotada de instituições electivas e não-electivas, onde muitas vezes não se distingue a fronteira entre o secular e o religioso. A retórica do regime a nível interno e externo assumiu contornos islâmicos e nacionalistas. A questão que se coloca ao nível da política externa iraniana consiste em compreender se a mesma é construída com base em interesses puramente geopolíticos e geoestratégicos, através de um paradigma realista, ou se existe, em simultâneo ou isoladamente, um elemento idealista conotado com o Islão. É assim legítimo questionar se existe um modo islâmico de fazer política externa e sobre o que distingue o Irão da actuação dos Estados seculares na política internacional. Embora o Líder Supremo permaneça como o locus do poder na estrutura formal do regime político iraniano, observamos um caos aparente e um carácter de grande complexidade no processo de formulação de políticas no Irão, o que resulta em abordagens contraditórias ao nível da política externa. Para superar as lacunas teóricas na análise da política externa iraniana, será necessária uma abordagem eclética, combinando os elementos dos variados debates teóricos da actualidade. O equilíbrio entre a ideologia e o pragmatismo tem sido o elemento mais persistente e uma das questões mais complexas ao nível da política externa iraniana. O dinamismo e a fluidez presentes na política do país, e a inexistência de uma linha divisória entre a religião e o Estado na República Islâmica, são características a ter em conta no desenvolvimento de um quadro analítico e conceptual que permita explicar os dois elementos aparentemente em conflito na política externa iraniana.
Descrição: Dissertação apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Ciência Política e Relações Internacionais – variante de Relações Internacionais
URI: http://hdl.handle.net/10362/5714
Appears in Collections:FCSH: DEP - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
IraoPol.Ext.VF.RuiSaraiva.pdf794,01 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia