DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de Filosofia >
FCSH: DF - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/5270

Título: Inscrição do desejo no desenho
Autor: Pinto, Ana Cristina Robalo
Orientador: Molder, Maria Filomena
Palavras-chave: Desenho
Escutar
Linguagem
Corpo
Issue Date: Sep-2010
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Resumo: O desenho e o desejo como harmónicos de inscrição. Entender o desenho, não pela a habilidade gráfica e/ou plástica, mas sim pela consciência do corpo, através da mão e olhos: um método de conhecimento, estudo, investigação, registo e documento. Aquirir realização individual na própria linguagem do desenho, disciplina e atenção, que ajuda a organizar a desordem interna do corpo - o repouso dinâmico no embalo do pincel que mancha a superfície e o despertar do papel no traço do lápis a grafite: o devaneio de uma intimidade. Ver com os olhos, percorrendo figuras, objectos, paisagens, etc, e aprender a forma de cada “modelo”; contornar e preencher, articulando, os olhos que vêm, à mão que inscreve, e escutar a vibração do lápis no traço da linha. No exercício de desenho cego, a disciplina, o rigor, a paciência, a tensão, o medo e o desejo, encontram intensidade e despojamento. Habituar o desejo e o medo a serem quietude, pelo esquecimento do tempo e de si, no acto de desenhar. Estimular o desejo, alimentando a sua curiosidade, não permitindo que ele possua o papel, mas que seja ele o manto que acolhe o corpo do desenhador e na inscrição da linha, o desejo se assuma como carimbo do tempo presente, traçe a sua vontade sobre o papel, fazendo do medo a sua cama, branca. Entrelaçamento do corpo - carne, orgãos, ossos, sopro, ar – do desenhador no corpo do papel, aceitando a tensão e transformando-a em reflexão, contemplação e compreensão (intuitiva), como consciência única, de si próprio e do que está perante e ao redor de si. Pela mão fazedora, acordar o sonhador/desenhador, apaziguando o medo e o desejo.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Filosofia
URI: http://hdl.handle.net/10362/5270
Appears in Collections:FCSH: DF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Parte I.pdfparte1120,3 kBAdobe PDFView/Open
Restrict Access. You can request a copy!
Parte II.pdfparte2852,16 kBAdobe PDFView/Open
Restrict Access. You can request a copy!
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia