DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de Filosofia >
FCSH: DF - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/5270

Título: Inscrição do desejo no desenho
Autor: Pinto, Ana Cristina Robalo
Orientador: Molder, Maria Filomena
Palavras-chave: Desenho
Escutar
Linguagem
Corpo
Issue Date: Sep-2010
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Resumo: O desenho e o desejo como harmónicos de inscrição. Entender o desenho, não pela a habilidade gráfica e/ou plástica, mas sim pela consciência do corpo, através da mão e olhos: um método de conhecimento, estudo, investigação, registo e documento. Aquirir realização individual na própria linguagem do desenho, disciplina e atenção, que ajuda a organizar a desordem interna do corpo - o repouso dinâmico no embalo do pincel que mancha a superfície e o despertar do papel no traço do lápis a grafite: o devaneio de uma intimidade. Ver com os olhos, percorrendo figuras, objectos, paisagens, etc, e aprender a forma de cada “modelo”; contornar e preencher, articulando, os olhos que vêm, à mão que inscreve, e escutar a vibração do lápis no traço da linha. No exercício de desenho cego, a disciplina, o rigor, a paciência, a tensão, o medo e o desejo, encontram intensidade e despojamento. Habituar o desejo e o medo a serem quietude, pelo esquecimento do tempo e de si, no acto de desenhar. Estimular o desejo, alimentando a sua curiosidade, não permitindo que ele possua o papel, mas que seja ele o manto que acolhe o corpo do desenhador e na inscrição da linha, o desejo se assuma como carimbo do tempo presente, traçe a sua vontade sobre o papel, fazendo do medo a sua cama, branca. Entrelaçamento do corpo - carne, orgãos, ossos, sopro, ar – do desenhador no corpo do papel, aceitando a tensão e transformando-a em reflexão, contemplação e compreensão (intuitiva), como consciência única, de si próprio e do que está perante e ao redor de si. Pela mão fazedora, acordar o sonhador/desenhador, apaziguando o medo e o desejo.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Filosofia
URI: http://hdl.handle.net/10362/5270
Appears in Collections:FCSH: DF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Parte I.pdfparte1120,3 kBAdobe PDFView/Open
Restrict Access. You can request a copy!
Parte II.pdfparte2852,16 kBAdobe PDFView/Open
Restrict Access. You can request a copy!

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia