DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de Antropologia >
FCSH: DA - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/5125

Title: Reterritorialização. Home e fronteiras - recursos em prol de uma estratégia de inserção no país de acolhimento.
Authors: Leite, Maria José Peraboa
Advisor: Bastos, Susana Pereira
Keywords: Home
Fronteiras
Narrativas de pertença
Espaço Territorializado
Reterritorialização
Issue Date: Sep-2009
Publisher: Faculdade de Ciências Socias e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Abstract: O presente texto reflecte a relação entre a procura de uma nova “home” e a construção de fronteiras, como recursos de inserção, no processo de reterritorialização dos sujeitos no país de acolhimento. A reterritorialização é o processo de sedentarização dos sujeitos em mobilidade, que passa pela ocupação de um espaço – físico, geográfico, mas também construído social e subjectivamente – a partir do qual os sujeitos sediam a sua vida, reconstroem as suas identidades, as suas redes sociais, as suas actividades – profissionais, religiosas, artísticas, sociais, ou outras – no país de acolhimento. O conceito de “reterritorialização” é utilizado por Tololyan (2001), sobre o modo como algumas diásporas ou grupos diaspóricos escolhem um território, dentro do país de acolhimento para se juntarem aos seus familiares, grupos, compatriotas e aí se fixarem, constituindo uma expressiva minoria (ou maioria), a partir de onde podem iniciar as suas práticas ou actividades de grupo, como escolas, prática religiosa, estabelecimento de redes sociais, actividades económicas, práticas sociais de recordação e celebração, com vista à reprodução da cultura da diáspora a nível interno (Tololyan, 2001; Gilroy, 1994 e Safran 1991 em Mapril, 2002) e da delimitação do território para o exterior. Este processo pressupõe a utilização de um espaço territorializado, não só porque é apropriado e defendido (Hall, Edward 1966), mas também porque é um espaço delimitado, que os sujeitos particularizam (Paul-Levy, F. e M. Segaud, 1983 em Silvano, 2001) e que os particulariza num movimento de criação de vínculo mas também de construção de fronteiras e de diferenciação, com o(s) outro(s) que o delimitam, com vista à “manutenção e maximização relacional da auto-estima (ou do narcisismo) pessoal (Bastos, S. e J., 2002). Neste trabalho pretende-se analisar a relação entre “home” e fronteiras, no processo de inserção de imigrantes falantes de língua portuguesa, através da análise das narrativas de pertença de onze estudos de caso.
Description: Apresentação do Projecto de Dissertação Mestrado em Migrações, Minorias Étnicas e Transnacionalismo
URI: http://hdl.handle.net/10362/5125
Appears in Collections:FCSH: DA - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
mariajoseleite.pdf1.14 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE