DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de Filosofia >
FCSH: DF - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/5109

Título: Arte e filosofia no pensamento de Nietzsche
Autor: Branco, Maria João Mayer
Orientador: Molder, Maria Filomena
Palavras-chave: Nietzsche
Arte
Filosofia
Estética
Música
Dioniso
Vontade de poder
Liberdade
Corpo
Embriaguez
Modernidade
Ritmo
Gosto
Estilo
Issue Date: Jul-2010
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Resumo: Neste estudo pretende-se averiguar a relação entre arte e filosofia no pensamento de Nietzsche e demonstrar que é a segunda que ocupa o lugar determinante na sua obra. Procurar-se-á mostrar que Nietzsche não constitui uma estética sistemática, embora a arte desempenhe um papel essencial na tarefa que atribui à filosofia. A análise dos textos inéditos contemporâneos do Nascimento da Tragédia e a transformação de Dioniso em deus-filósofo servirão para esclarecer a passagem do interesse pelo âmbito da “ciência estética” para o da filosofia. Defender-se-á que a tensão entre os elementos opostos apolíneo e dionisíaco é a matriz que se mantém ao longo de todo o seu pensamento, e que ela sofre variações conceptuais manifestas nas noções de “plástico” e “musical”, “força plástica” e “vontade de poder”. Através desta matriz, Nietzsche pensa a relação da filosofia com a linguagem e com o conhecimento, e do filósofo com a sua época. A análise da noção de “pessimismo dionisíaco” permitirá compreender que Nietzsche propõe um conhecimento trágico e simultaneamente afirmador, que visa superar o pessimismo e o niilismo modernos. A identificação da filosofia com a “arte da transfiguração” ou “gaia ciência” mostrará que Nietzsche tem em mente uma renovação da filosofia, que a destitui da sua condição metafísica e implica uma reavaliação do âmbito sensível. A tese de que a arte, em especial a música, contribui decisivamente para uma reabilitação dos sentidos, promovendo um alargamento do modo de sentir e de pensar, levarnos- á a demonstrar que a compreensão da vida como vontade de poder é uma proposta de alargamento das explicações científicas do mundo baseada num refinamento dos sentidos. Investigar-se-á o modo como, pensando o mundo como estrutura de uma multiplicidade de relações afectivas, Nietzsche procura estabelecer a ligação entre afecto e pensamento, rejeitando os preconceitos dualistas da filosofia tradicional e os conceitos de sujeito e vontade livre baseados na ficção lógica da unidade simples e atómica. Contra ela propõe uma “psicofisiologia” para pensar um entrelaçamento entre o psíquico e o corpo, que implica uma inteligibilidade instintiva e uma comunicação de ordem não verbal. Esta última alcança o seu grau máximo de intensificação no estado estético em que o artista cria obras de arte. Nietzsche designa este estado como “embriaguez”, um estado em que a vida se intensifica de tal modo que transborda e gera novas configurações de si mesma. A embriaguez é desejo de vida, e o artista suscita-a no contemplador através das obras que cria. Averiguar-se-á ainda a crítica de Nietzsche à tendencial “intelectualização dos sentidos” na arte moderna e o modo como esta favorece o declínio dos instintos e empobrece a relação com o mundo e a vontade de viver. Wagner torna-se um alvo privilegiado das suas críticas e sustentar-se-á que na noção de ritmo se concentram as preocupações de Nietzsche com a relação entre a arte e a vida. Do mesmo modo, defender-se-á que nas noções de gosto e estilo se decide o que aproxima e o que distingue um filósofo de um artista.
Descrição: Dissertação de Doutoramento em Filosofia
URI: http://hdl.handle.net/10362/5109
Appears in Collections:FCSH: DF - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
TESEFINAL.pdfTese final2,49 MBAdobe PDFView/Open
ERRATA.pdfErrata115,98 kBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia