DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de História >
FCSH: DH - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/5108

Título: Os estudos de astronomia em Portugal de 1850 a 1950
Autor: Aguiar, António Mota de
Orientador: Vicente, António Pedro
Carvalho, Jorge Paulo Maurício de
Palavras-chave: História da Ciência
História da Astronomia
Junta de Educação Nacional
Física
Rádio
Relatividade
Estado Novo
Issue Date: Nov-2009
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Resumo: Ao estudar e analisar a História da Ciência em Portugal de 1850 a 1950, mais exactamente a História da Astronomia entre nós, dei-me conta do nosso enorme atraso em relação às nações do continente europeu, facto este, por demais conhecido dos historiadores portugueses. Todavia, talvez já não seja do conhecimento de todos, que a segunda metade da segunda década do século passado, começou com uma certa animação cultural devido à criação da Junta de Educação Nacional e o envio para o estrangeiro de bolseiros a fim de trazerem para Portugal mais-valias. A partir de 1929 começaram a chegar a Portugal os primeiros bolseiros vindos destes países. A partir de 1930 havia em Portugal muitos cientistas capazes de levar para a frente o projecto de desenvolver entre nós a Física, disciplina essencial, sobretudo nessa altura, para muitas outras ciências. A criação de um Instituto do Rádio em Coimbra esteve mesmo nos planos do Prof. Mário Silva. A Astronomia poderia ter avançado nessa altura, se tivesse florescido entre nós o estudo da Física moderna, nomeadamente a Relatividade. Mas o conhecimento e o ensino da Relatividade foram bloqueados pelos políticos do Estado Novo, nomeadamente por Costa Lobo. No princípio da década de 1930 começaram as purgas, os exílios, as prisões dos professores universitários de varias áreas do saber, e o país, em vez de ter dado o salto científico-cultural que tanto necessitava, entrou no túnel da mediocridade cultural por algumas dezenas de anos. Os vinte anos da História da Ciência portuguesa entre 1930 e 1950 (25 anos, se começarmos em 1925) esperam novas investigações. Não nos podemos esquecer deste período histórico, procurando saber o mais possível sobre o que se passou nesta altura; houve um desabrochar da Ciência portuguesa protagonizado por vários cientistas de elevada craveira científica, alguns de renome internacional, mas houve também o afundamento deliberado do mesmo por parte do Estado Novo e das pessoas que o representavam. Este estudo pretende dar uma ajuda no esclarecimento deste período da História da Ciência Portuguesa.
Descrição: Dissertação de Doutoramento em História da Ciência
URI: http://hdl.handle.net/10362/5108
Appears in Collections:FCSH: DH - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
antonio aguiar.pdf3,59 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE